Campeão… ou barbeiro…?

Hamilton passes Glock for the 2008 title

Era de se esperar, nao é? Massa não ganhou o Mundial …e (quase) o Brasil inteiro vem pra cima do coitado do Timo Glock. A culpa é do alemão, da Toyota, da chuva do caramba a quatro, fala-se em armação, de injustiça, etc, etc. Valeu Massa, excelente desempenho??? Oras, ele já tinha jogado o Mundial fora antes do GP do Brasil. Pra todos aqueles, que sofrem de amnésia ou que simplesemente nao entendem de automobilsimo, eis o porque Felipe Massa (mais uma vez) realmente perdeu a chance da sua vida:


Massa spins at the first corner at Melbourne
Quem foi que cometeu a primeira barbeiragem do ano logo na primeira curva lá em Melbourne…?

Massa hits Coulthard at Melbourne
„Sai da frente que sou piloto da Ferrari.“ Bateu na traseira e ainda reclamou do DC…

Felipe Massa, Ferrari F2008, GP Malaysia
GP da Malásia. Sem comentários (pois já os fiz antes…)

Massa's 'spinfest' at Silverstone begins
Festa do pião. E o pião era o próprio Massa. Deve até ter saído zonzo lá de Silverstone.

Massa's engine turns smoke at the Hungaroring
Mas se prefirir culpar a Ferrari, tá de bom tamanho também.

Ferrari's pit stop plunder at Singapore
…ou por essa!

Hamilton about to be spun around by Massa at Fuji
Mas apelar pra ignorância ele consegue sozinho. Em Fuji contra Hamilton, depois contra Bourdais.

Enfim, entre barbeiro ou campeão, qual seria o atributo mais justo perante as evidencias…?

Advertisements

37 Gedanken zu “Campeão… ou barbeiro…?

  1. Ah tá… eu consigo fazer um post muito pior em relação ao Hamilton, quer ver?

  2. Senhor Bauer, em nenhum, mas nenhum acidente em que esteja envolvido o David Coulthard a culpa será do outro.
    E quanto as barbeiragens do Massa, quem não as cometeu um dia sendo piloto em alto nivel?
    Até o incessado Senna acertou a entrada do tunel em Mônaco sozinho…
    De qualquer forma o post foi muito divertido. E eu também quero ver o post ‚pior‘ do sr. Leo Freire.
    Não duvido que ele consiga….
    Abraços e aparece no novo bliggroo. Sinto sua falta por lá.

  3. Que bom ver o GP Insider de volta!

    Não tem o que chorar, o conjunto Hamilton/McLaren foi superior ao Massa/Ferrari durante a maior parte do campeonato. O que aconteceu com o Glock foi o mesmo que houve em Spa. Heidfeld e Alonso deixaram as Toro Rossos para trás e ninguém ficou choramingando…

    A cada erro que cometia e compensava com uma vitória a seguir, surgia aquele papo de que „o Massa está mais maduro“. Depois mais um erro e a desconfiança voltava… mas acredito, pela metade final do campeonato e pelo trato com a equipe, sem jogar a culpa mas dividindo a responsabilidade, que o Massa realmente cresceu muito na metade final do campeonato. É de fao um piloto diferente daquele que botou a culpa no carro na rodada de Sepang…

  4. …sendo que provavelmente recebeu um puxao de orelha depois daquela… 🙂

  5. Mario, vc está de volta!!! Estava com saudades!!! Mande notícias…

    bjs

  6. Primeiro que tudo, seja bem vindo de volta!

    Segundo: concordo plenamente contigo. O Massa (e a Ferrari) cometeram demasiados erros para merecerem o título de pilotos. Mas mais espantado ficaria se no meio disto tudo, ele tivesse ganho o título mundial…

    Mas também, se isso acontecesse, o post seria provavelmente acerca dos erros do Lewis Hamilton ou então que a sigla FIA significar „Ferrari International Assistance“… mas isto é mais justo.

    Parabéns Bauer. És dos poucos que não acusa o Glock e tocas o dedão na ferida… Espero que fales mais vezes!

  7. Que bom retornar ao blog Mario, depois nos conte como está sendo as coisas aí na Alemanha (ou é na Suiça?), certamente se livrou dos problemas daqui…

    Quanto ao post, concordo plenamente contigo, mas vale lembrar que o Hamilton também cometeu erros ao longo da temporada, e não é a toa que é o campeão com menor aproveitamento dos últimos anos. E o Raikkonen então? Parece que passou o campeonato dormindo…

    Na minha opinião, se tem dois pilotos que brilharam essa temporada, foram Alonso e Vettel, e depois o Kubica.

    E Speeder, pelo menos aqui no Brasil, não vi nenhum jornalista especializado culpar o Glock, haha

  8. Caramba Mário! Sumiu em!

    Que bom que está de volta, não desapareça mais, queremos mais tópicos seus sobre o campeonato desse ano.

    Você vai ficar com esse blog ou o privativo?

    Abraço, seja bem-vindo novamente.

  9. Barbeiro por barbeiro o Hamilton foi mais apesar de campeão (as corridas da Malásia, Bahrein, Canadá, França e Japão não me deixam mentir). A diferença é que a McLaren não errou diferente da Ferrari, que fez besteiras incríveis contra seus dois pilotos.

    E o Kimi Raikkonen? Parece que pilotou a tempoarada inteira na base do álcool. Pilotagem ridícula em quase todas as corridas. Maior vergonha do ano entre os pilotos de ponta. Esse sim merece o prêmio de barbeiro do ano.

    Ano que vem se a Renault mantiver o nível das últimas corridas, o Fernando Alonso vai ser tricampeão com sobras. Nem Ferrari e muito menos a McLaren tem alguém como ele para liderar as ações.

  10. Antes que entenda diferente, o Massa também foi barbeiro, só que o Hamilton foi ainda pior pelos momentos que citei.

  11. Massa e Hamilton abusaram dos erros de forma similar. A diferença residiu no fato de que a equipe Mclaren não errou com Hamilton (apenas com Kovalainen), ao passo que a equipe de Maranello errou com ambos pilotos seus (Kimi em Mõnaco, França e Hungria, no mínimo).

    De qualquer maneira, os dois são pilotos muito bons, mas ainda ficam devendo aos dois melhores do grid atualmente: Vettel e Alonso.

    Aliás, não vejo motivos para a Ferrari contratar Alonso, pois o Vettel seria uma pechincha perto dele e não azucrinaria o ambiente da equipe como ele costuma fazer (embora seja o mais completo dos pilotos atuais).

  12. Wallace, concordo que o Hamilton cometeu barbeiragens mais ridículas (aquela do Canadá foi imperdoável), mas a favor do inglês poderemos alegar a sua inexperiância. Levantar uma taça com apenas dois anos de categoria, ainda tendo que liderar uma equipe com um companheiro igualmente inexperiente, não é pra qualquer um.

    Falando no „companheiro inexperiente“, que decepção o Kovalainen. Se não fosse pelo fraco desempenho dele – ainda que a equipe seja claramente voltada para o Hamilton – a McLaren ainda teria humilhado a Ferrari com o título dos construtores.

  13. Eis a questão: o Kovalainen recebe o mesmo tratamento dado ao Hamilton pela McLaren? Eles boicotaram o Alonso em 2007, um bicampeão, imagine um novato como o Kova.

  14. Pessoal:

    mesmo que o Massa não tenha levado o título de pilotos, devemos observar que está longe de ser um fracassado. O cara tem 15 poles, 10 vitórias em um pouco mais de 100 provas. São médias razoáveis. E tem mais: é ele e não nós que pilota para Ferrari e ganha milhões de dólares. Como se não bastasse, bateu ainda seu companheiro de equipe em 2008, que foi o campeão em 2007. Não foi pouco. E quem somos nós para julgá-lo? Meros „escrevinhadores“ de um blog. Tudo que podemos fazer é „comentar“ algo que amamos. Portanto, acho que se ele pudesse no julgar… tomara que não fosse tão rigoroso conosco como alguns daqui estão sendo com ele… rs
    Também acho que os erros que ele cometeu no início do ano (Austrália, Malásia e Mônaco = rodadas) foram péssimos e tanto o de Sepang quanto o de Monte Carlo lhe custaram o título, mas acho que é inegável que os erros de Hamilton foram similares (Sepang, Canadá, França e Spa). E infortúnios? Qual o Lewis teve? Apenas na Hungria. Acho que o título do britânico foi merecido e tivemos uma linda briga. Na verdade, qualquer dos dois poderia ser campeão, pois quem erraria menos – se estivesse em um carro de ponta – seria o asturiano mesmo. Abraços a todos

  15. Barbeiragens… hmmmm….
    Pode acontecer com qualquer um, afinal quem tá na chuva é pra se molhar (ou rodopiar). Vejamos:
    1. O N. Piquet conta, morrendo de rir, que na Grécia, numa corrida de categoria de base, estava na pole e na hora da largada engatou uma ré, acelerou e soltou a embreagem, fazendo a maior c.. da carreira.
    2. Também gargalhando muito o Emerson Fittipaldi conta como destruiu um Porsche do irmão Wilsinho, que estava com 14 Km rodados.
    3. O A. Senna errou a entrada do túnel em Mônaco.

    Mas todos assumiram os erros e nenhum deles teve a coragem de dizer que mereciam ganhar, apesar das barbeiragens.

    Só no Brasil mesmo!!!

  16. Olha Alexandre, acho um grande „infortúnio“ perder a vitória em um GP por decisão no mínimo questionável por parte da direção de prova, a FIA recusar de sequer julgar o mérito da contestação e assim entregar a vitória na bandeja ao maior concorrente, o Massa.

    O qual, diga-se de passagem, sequer conseguia acompanhar a dupla Hamilton/Räikkönen em Spa. Sem essa maracutaia o Mundial seria decidido em Fuji já.

    Se aquilo nao foi um „infortúnio“, aí já nao sei mais…

  17. Olá Mário:

    também não gostei da punição de Spa, mas o próprio Kimi foi enfático em afirmar que Lewis entregou a posição preparando o bote. Tanto é verdade que cerca de 3/4 dos pilotos do grid aprovou a punição (exceto alguns britânicos). O maior culpado por essa punição foi o Lewis mesmo. Concordo totalmente que o Felipe não merecia vencer a prova (ele mesmo concorda, pois afirmou à toda a imprensa que não tinha ritmo para acompanhar os dois e guiou naquele instante como um „bundão“ – palavras dele), mas infelizmente também concordo que o Lewis mereceu a punição. Para Lewis vencer, bastaria contornar a primeira curva na traseira da ferrari n.º 01 e dar o bote na subida da eau rouge ou na reta seguinte. O Raikkonen já estava nocauteado naquele instante da prova. Ali naquela hora, falou mais alto o Lewis da Malásia, Canadá, França e Fuji e não o Lewis de Xangai por exemplo, você não acha, amigo?

    abraços

  18. Bom, dizer que a única corrida de classe do Lewis foi em Xangai é um equívoco e tanto. Pensando em Melbourne, Monaco, Silverstone, Hockenheim, sem falar na corrida de recuperação em Monza.

    Enquanto aos 3/4 do grid aprovoram a punição de Spa. Ora, o que isto quer dizer? Que a inveja fala mais alto, não é? Caras como o Coulthard, Button e o Webber, se falar dos „English speakers“, estão eternidades na F1 e (quase) não tem mais vez na mídia por causa do Hamilton. A menos que deçam o pau, aí alguem escuta. E aqueles 33% que acharam a punição injusta, ou melhor, excessiva? A opinião deles não tem valor?

    Faço a seguinte pergunta: Se Massa fosse piloto McLaren, vc não acha que levaria uma punição pela situação com Sutil no pitlane de Valencia? Mas sendo piloto da Ferrari, nada aconteceu. Em outros momentos, outros pilotos forma punidos por esta mesma infração. Acrescente 25 segundos ao resultado em Valencia e veja a diferença que isto faria no mundial…

  19. Olá Mário:

    os britânicos, Sutil e Webber é que foram contra a punição de Lewis, meu caro. Que me recorde, apenas eles. Agora dizermos que os outros foram favoráveis por inveja é querer adentrar no campo subjetivo, a não ser que eles tenham lhe confessado isso.

    Não disse que só em Xangai Lewis andou bem. Disse que na China foi sua melhor exibição (creio que Silverstone idem).

    Em minha opinião (aceito outras com certeza), Lewis é o piloto com maior potencial (junto de Vettel) e Alonso o mais completo no momento.

    Isso, no entanto, não me impede de observar que ele tem um certo talento em falar coisas que jogam mais pressão contra ele mesmo, e como Senna, tem predileção por um discurso ufanista e demagógico (gosta de citar que tem conexões „mentais“ com Senna. Adoro bajular seu público. Se denomina um „guerreiro“, coisas que Piquet (pai) ou Kimi, por exemplo, execrariam.

    Nem por isso acho Hamilton um piloto pior. Não misturo opiniões sobre caráter com pilotagem. Integridade moral não entra no cockpit e talento não tem viés moralista.

    Tanto isso é verdade, que um dos maiores jogadores de futebol do mundo foi Maradona, e o piloto que mais venceu títulos na F-1 atirou carros contra seus adversários, parou seu bólido para interromper treinos etc.

    Nem por isso deixamos de admirá-los, não é mesmo?

    Se enveredarmos a discussão aos aspectos subjetivos que você alega conhecer (como, por exemplo, „o caráter e a índole“ da Família Massa, a discussão, o debate, sempre bem-vindos se tornarão estéreis, afinal, seu blog é destinado a discutirmos corridas, não é mesmo (e não ética)?

    saudações ao Mário e a todos.

    abraços

  20. meu caro, nao faco alegacoes. Coloco aqui a minha opiniao e minh apreferencia. E me sinto prefeitamente no direito de fazer isto. A quem nao agrada, fazer o que…

  21. claro, Mário. Mas você tem total de direito de fazê-lo… afinal, é sua opinião e o blog é vosso!

    apenas coloquei minha opinião.

    abraços

  22. Mário,
    Não sei quem foram os comissários em Valencia e se eles foram os mesmos que fiscalizaram a prova da GP2. Sei que a regulamentação da saída dos boxes é igual para ambas as categorias: GP2 e F1. Sei também que naquele mesmo final de semana o Brunno Senna foi punido com aumento de 25 segundos em seu tempo, por ter feito manobra absolutamente idêntica à que fez o Massa com o Sutil na saída dos boxes, mas este não foi punido.

    A batida do Massa no Bourdais no Japão também foi ignorada pelos comissários, embora seja regra da F1 que quem saiu da área dos boxes e ainda está na faixa tem preferência. Não sei se você lembra: o Bourdais estava na faixa da direita, sem qualquer área de escape, completamente „indefeso“ e o Massa, vindo da esquerda, jogou o carro em cima dele e rodou (um erro grosseiro.. se ele esperasse, na próxima curva ele passaria). Depois dizem que só o Hamilton é afoito…rsrsrs!!. O Bourdais foi punido, o que significou um pontinho a mais para o Massa.

    O Massa fez boas corridas mas errou feio, feio mesmo em diversas oportunidades nesta temporada. A Ferrari também errou. Tudo bem. Mas se o Massa merece ser perdoado por seus erros, a Ferrari também merece, para que as coisas sejam justas. Neste caso de quem seria a culpa? Eu respondo: a culpa é inteiramente do Massa, porque, se num sistema de compensações os erros dele e da Ferrari forem zerados, restam os pontos que a FIA lhe deu de bandeja e mesmo assim ele chegou derrotado em Interlagos.
    Deixo bem claro: Não sou torcedor do Hamilton nem sou impatriota. Torci para o Nelsinho Piquet e para o Raikkonen. E tem mais: automobilismo, pelo menos pra mim, é diversão. Se eu fosse obrigado a torcer para este ou aquele, mesmo preferindo outro, isso seria obrigação e não distração. Nenhum piloto representa país algum – representa a si próprio nesse grande „negócio“ que é a F1. A maioria deles sequer gera receita em impostos pois nem mora em seu pais de origem.
    Magistra.

  23. Mário,
    Só para completar, também sofre punição da FIA quem passa o carro sobre a faixa branca, ao sair dos boxes. Então, você saberia dizer qual foi a punição que o Massa sofreu por ter pisado por duas vezes na faixa branca, na última saída dos boxes? Se você ou alguém tiver dúvida, basta olhar esse vídeo do youtube – http://br.youtube.com/watch?v=EtQVcteKS_A -, prestando atenção no cronômetro nos tempos 2’03“ e 2’07“. Se não me engano, a punição é um drive through.

    Abs. Mário (seu blog é muito bom… parabéns!!!)

    Magistra

  24. Para a GPWeek o Massa é campeão:

    Apesar da frustração de ter perdido o título da temporada 2008 para Lewis Hamilton na última curva, Felipe Massa foi eleito o melhor piloto da categoria este ano pela revista especializada GPWeek.

    A publicação destaca a impressionante evolução de Massa ao longo do ano. Depois de errar e abandonar as duas primeiras provas de 2008, o paulista foi melhorando gradativamente e sofreu com falhas da Ferrari em pelo menos três etapas (erros no pit stop no Canadá e em Cingapura, além de uma quebra de motor na Hungria).

    Para a GPWeek, que o descreve como um „verdadeiro líder de equipe que provou que todos estavam errados sobre ele e suas habilidades“, Felipe merecia o título tanto quanto Hamiton, que ficou em segundo lugar na avaliação. Robert Kubica, Sebastian Vettel e Fernando Alonso completam a lista de destaques.

    Fonte: Gazeta Esportiva

  25. Vixe Maria!!! Quanta objetividade. O Alonso ficou atrás do Kubica e do Vettel? Nusssssss. Quantas pessoas constavam no juri … ?

  26. A minha lista é diferente dessa Mario. Seria a seguinte:

    1 – Fernando Alonso
    2 – Sebastian Vettel
    3 – Jarno Trulli
    4 – Felipe Massa
    5 – Lewis Hamilton
    6 – Timo Glock
    7 – Robert Kubica
    8 – Nick Heidfeld
    9 – Heikki Kovalainen
    10 – Kimi-Matias Raikkonen

    Certeza que a galera vai reclamar. Paciência.

  27. Ok, lá vai a minha:

    1. Alonso
    2. Kubica
    3. Vettel
    4. Massa
    5. Hamilton
    6. Heidfeld
    7. Trulli
    8. Glock
    9. Raikkonen
    10. Kovalainen

  28. Convenhamos, Hamilton e Massa precisam aprender com Valentino Rossi como se ganha um campeonato, que mesmo não sendo o mais veloz o campeonato inteiro, não disperdiçõu as chances que teve e foi campeão com sobras.

    A perdição dos críticos, uma lista:
    1 – Kubica (Excelente no início, desanimado no fim)
    2 – Alonso (Showman, quer sempre aparecer e teve sucesso)
    3 – Vettel (Se a performance da Itália não foi fantástica, então nada foi)
    4 – Hamilton (Fenômeno inexperiente, fenômeno em algumas corridas, simplesmente inexperiente em outras)
    5 – Massa (O que mais alternou: muito veloz->erros ->sem brilho)

    Alguém tem idéia de pq o Raikkonen durmiu quase todo campeonato e mesmo assim fez melhor volta na maioria das corridas?

  29. Acho que o Massa deu sim uma evoluída, mas ainda não merece tanto prestígio… Assim como a Mclaren juntamente com o Hamilton jogaram o campeonato de 2007 fora, a Ferrari e Massa jogaram o de 2008. Massa com muita culpa até a metade e a Ferrari no decorrer…
    E Lewis Hamilton pode até ser melhor que o massa, mas ainda tem que provar muito… Barbeiragens também fazem parte do seu currículo nas duas temporadas em que disputou… E pra quem acha o máximo o ingles ter ganhado já na sua segunda temporada, lembre-se em qual equipe ele começou, e se algum piloto de talento teve tal oportunidade…
    Pra mim a temporada de 2008, independentemente de qual dos dois ganhasse, foi marcada mais pela incompetencia dos demais rivais do que por mérito das escuderias e seus pilotos… Sei que isso faz parte do jogo…
    Mas lamento a Renault ter crescido apenas no fim do campeonato e a BMW nao ter continuado seu desenvolvimento…
    Aguardemos 2009
    e eu ansiosamente o R29!!!

  30. Ah… Mário…
    Obrigado por voltar…

    -Estou vendo algumas discussoes…
    Ei Mário, acho que o Gossn nao quis tumultuar… Acho que ele nao faz parte do tipo de pessoas indesejáveis aqui no seu espaço, embora as vezes eu também nao concorde inteiramente com suas ideias…

    Abraçosss

  31. Olá pessoal:

    abomino tumultuar, e não o faço, assim como condeno quem o faz. Mas defendo a máxima de Voltaire: posso não concordar com sua opinião, mas se defenderes ela com educação e ética, defenderei até a morte seu direito de dizê-la.

    Acho que o Mário está certo sobre grande parte das coisas que fala sobre os brasileiros não entenderem nada de corridas e sobre a mentalidade do brasileiro médio.

    O problema reside quando generalizamos ou quando nos colocamos em um pedestal como se não fôssemos parte do problema.

    Todos povos tem histórias de qualidades e defeitos. A Áustria, por exemplo, já brindou o mundo com Mozart, mas também com aquele pedófilo que engravidou e trancafiou a própria filha (com quem teve filhos / netos).

    A Alemanha nos brindou com Freud, Kelsen, Windscheid, Beethoven, mas também com Goebbels.

    a Itália nos deu Da Vinci, mas também Mussolini.

    O Japão idem

    Inglaterra idem.

    Portanto, não concordo com esta visão de mundo dualista e absoluta.

    abraços

  32. Parabéns Alexandre Gossn, espetaculares suas idéias… de altíssimos níveis seus comentários…

  33. Desculpe, Alexandre, mas desta vez nao tenho como concordar com o seu comentário. Primeiramente porque nao houve generalizacao alguma. Leia o exposto novamente e procure entender o exposto dentro do contexto, por favor.

    Ademais a minha posicao é resultado de bastante desagrados que vivi. Tanto na vida real como na virtual. Desde quando o agredido, a vítima, o prejudicado faz parte do problema??? E sugerir que eu estaria me colocando em um pedastal é simplesmente grotesco!!!!!! Desculpe pela forma direta ao te responder, mas voce NADA sabe da minha vida que lhe permita tal avaliacao!

    O problema, de fato, sempre reside onde negar os fatos vira preferencia nacional. Objetividade e auto-crítica, goste ou nao, sao valores raramente em exercício na cultura brasileira. Por isto este país nao sai do lugar. Aceitando seus defeitos e trabalhando em cima dos problemas, o Brasil teria perfeitamente condicoes de sair desta e partir para uma situacao melhor. A minha constatacao, pelo que vivi, é que a maioria realmente nao quer isto. Por motivos que cada grupinho, que ativamente impede o Brasil se tornar um país sério, em sí conhece muito bem.

    A minha pergunta a voce seria: Voce defende esta sua visao na base de experiencia de vida e a possibilidade de fazer comparacoes reais entre culturas diferentes? Falo de experiencias extensas, como convivencia e interacao social. Ou trata-se da mera repeticao de teses e teorias de pessoas, que definitivamente nao tinham em suas devidas épocas como saber, quais seriam os desafios ou como seria a vida, a sociedade, a convivencia no século 21?

    Já adiantando: Eu prefiro confiar no que vivi e o que guardo na minha memória como resultado de experiencias próprias às teses de defuntos…

  34. OLÁ MÁRIO; SAUDAÇÕES AOS FREQUENTADORES DESTE ESPAÇO;

    Acho que você está se exaltando sem motivos, porque está levando para o lado pessoal, meu caro. Quando falo em se colocar no pedestal, não me referi a ninguém de forma particular.

    Basta você ler: o verbo está no plural. Se me permite, transcreverei:

    „O problema reside quando GENERALIZAMOS ou quando nos COLOCAMOS em um pedestal como se não FÔSSEMOS parte do problema“.

    Quando fala em objetividade, não pode se esquecer que a objetividade tem seu lugar, desde que não suprima o prisma, a ótica, em suma, a visão dos demais.

    02 + 02 = 04 e não há o que se contestar, mas discutir o „caráter“ de uma pessoa é sim possível por diversos prismas. Há quem diga que Napoleão foi um herói. Há quem diga que foi um criminoso.

    Isso não é matemática, e ao que me parece, você se enerva em duas situaçõe: a) quando discordam de você (porque você sempre é mais vivido e experiente) ; b) quando não discordam de você fundamentalmente (como eu), mas discordam da forma como chegou a sua conclusão.

    Não vejo porque se enervar por isso. A pluralidade de pensamentos é benéfica e enriquece o seu já excelente blog.

    Você critica o Brasil com razão: realmente este é um país que não é sério, já dizia De Gaulle. Mas a histeria popular não é demérito só deste bananal, vide a imprensa britânica (a mais marrom do mundo) e o tablóide tedesco (the bild) que você há de concordar não ser exatamente o jornal mais sério do planeta (ridicularizado na própria Germania).

    Vamos agora tratar de suas colocações:

    „Desculpe pela forma direta ao te responder, mas voce NADA sabe da minha vida que lhe permita tal avaliacao!“

    De sua vida só sei o que você mesmo contou, mas eu SEQUER ESTAVA AVALIANDO VOCÊ! Estava avaliando o POST e não VOCÊ. está vendo como toma tudo pelo lado pessoal? Não discuto PESSOAS, discuto IDÉIAS.

    De qualquer modo, minha impressão sobre sua pessoa é ótima, mas isso não tem a menor relevância na discussão de um tópico, meu caro.

    Sobre sua segunda colocação:

    „A minha pergunta a voce seria: Voce defende esta sua visao na base de experiencia de vida e a possibilidade de fazer comparacoes reais entre culturas diferentes? Falo de experiencias extensas, como convivencia e interacao social. Ou trata-se da mera repeticao de teses e teorias de pessoas, que definitivamente nao tinham em suas devidas épocas como saber, quais seriam os desafios ou como seria a vida, a sociedade, a convivencia no século 21?

    Quando emito uma opinião eu o faço sempre me balizando em dois alicerces: experiência empírica própria (o que aprendi na minha vida por experiências vividas) + aprendizado cultural com outras pessoas / idéias / etc.

    Creio que é possível fazer uma comparação com um piloto: pode um piloto virar bons tempos só com teoria?

    NÃO.

    E só com prática?

    Também não. Ele precisa ter um mínimo de conhecimento da parte técnica / teórica. Até estratégias de prova são definidas em esquemas teóricos (e por isso são revistas se preciso).

    Seria uma estupidez usar apenas a prática ou apenas a teoria, se o melhor resultado só vem com a combinação de ambas…

    Agora sobre sua conclusão:

    J“á adiantando: Eu prefiro confiar no que vivi e o que guardo na minha memória como resultado de experiencias próprias às teses de defuntos…“

    A despeito de ter demonstrado não confiar nas „teses dos defuntos“, é curioso que coloque tantos „posts“ sobre o passado. Será que a relutância em aprender com o passado só surgiu quando foi conveniente, meu caro?

    Concordo com você que os modelos teóricos e baseados apenas no passado podem nos induzir a erros, mas ignorá-los é estupidez, algo aliás muito praticado pelo nosso presidente Lula, que fala muito que „NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DESSE PAÍS SE FEZ ISSO, AQUILO…“ justamente por desconhecer a História e assim, acaba crendo que está sendo pioneiro…rs

    Bem, Mário, basicamente é isso, meu caro.

    O importante é você compreender que aprecio seu blog e respeito sua história, experiência e opinião.

    Concordo também que o Brasil é um país propenso à ilegalidades, mas não concordo que é o único, tampouco que os do chamado primeiro mundo estejam imunes a defeitos de qualquer espécie.

    abraços

  35. Caros amigos,

    surgiam as palavras „viagem“ e „maionese“ lendo o comentário acima…

    Enfim, quando criei o GP Insider com a intenção de apresentar o meu trabalho à quem possa se interessar por serviços deste cunho no Brasil, nao previ que iria tornar-se em um espaço bem visitado por amantes do automobilismo, que gostam de dialogar sobre o nosso esporte predileto. Mas de lá pra cá o blog se tornou inviável, primeiramente porque
    a) o desejo de viver no Brasil evaporou por motivos que descrevi anteriormente;
    b) não vejo perspectiva algum em meio ao automobilismo brasileiro, cada vez mais decadente;
    c) faltava tempo livre devido a minha nova ocupação na Suiça e continuará assim devido a um projeto ainda mais promissor para 2009;
    d) porque, de fato, não quero gastar meu tempo com discussões sem finalidade.

    Por aqui sempre permitia manifestações de opiniões, favoráveis ou contrárias, desde que fossem apresentadas com educação. Mesmo os incômodos, que parecem sentir uma necessidade estranha de sempre discordar, tiveram o seu espaço garantido. Não é, Carlos?

    Mesmo manifestando-se de forma educada, desviar este espaço da sua finalidade agora, ocupando-o com discussões filosóficas e avaliações psicológicas (ambas não solicitadas), ainda que baseadas em interpretações erráticas, não passa de um excesso inapropriado e desagradável. Já estourou a minha paciencia ao mencionar Goebbels!!!

    Desculpe Carlos, quem está se exaltando é você, passou dos limites do bom senso … e das boas maneiras. Na adianta terminar o discurso elogiando o blog e a minha pessoa. Várias das suas colocações não deixam de ser provocações. Ah, e se jamais surgir a necessidade de uma avaliação psicológica, procurarei um analista. Na Europa, é claro. Prometo.

    Portanto, termina aqui este debate não solicitado e sem finalidade alguma.

    Quem quiser trocar idéias comigo sobre esportes a motor, está convidado a participar ao blog internacional. E já que aquele espaço é reservado à interação a nível internacional, somente comentários em ingles serão aceitos.

    Grande abraço a todos e espero encontrá-los por lá.

Die Kommentarfunktion ist geschlossen.