Há 30 anos: A vitória única do carro ventilador

Niki Lauda drives Brabham’s infamous fan car to a singular victory at the 1978 Swedish GP. While Gordon Murray’s clever design, reminiscent of the 1970 Chaparral Can-Am car, was dominant on-track, it also created massive controversy in the paddock.


In an exercise in loophole exploitation that probably made Colin Chapman green with envy, Murray repositioned the radiators at the rear of the car and cooled them with a big fan instead of with rammed air as was normal with side-mounted radiators.

Of course, they contrived to see to it that the fan just happened to also suck air out from under the car increasing its downforce. Rival teams argued that the fans were, therefore, illegal as they were moving aerodynamic devices and also claimed the BT46s were hurling stones at cars running behind them. In the end Bernie Ecclestone would decide to cut the fans from his cars after the Swedish GP. It is widely believed Bernie got something in return to compensate for the development costs, as the rules loophole would be closed. It would the beginning of give-and-take-diplomacy tactics in F1.

Mario Andretti was on pole position in his Lotus by seven-tenths of a second while the two Brabhams were second and third, John Watson ahead of Niki Lauda. Then came Ronnie Peterson in the second Lotus. Fifth on the grid went to Riccardo Patrese in the Arrows, although the team was involved in a court case with Shadow over copyright infringement and work was just beginning on the design of a new Arrows A1 chassis to replace the FA/1. Jody Scheckter was fifth on the grid in his Wolf, ahead of the two Ferraris of Gilles Villeneuve and Carlos Reutemann while the top 10 was completed by Alan Jones in the Williams FW06 and Jean-Pierre Jabouille’s Renault.

The Brabhams were protested before the race began but the protest was rejected and the grid formed up as normal. Andretti took the lead with Lauda getting ahead of Watson, who was under pressure from a fast-starting Patrese. At the end of the second lap Patrese moved to third place and a lap later Watson had dropped behind Peterson as well. The Swede then battled Patrese and on lap 10 he took third place only to slow soon afterwards with a puncture. The order then remained unchanged until lap 20 when Watson disappeared from fourth position with a throttle breakage.

At the front Andretti and Lauda battled for supremacy while Patrese was a lonely third. Then came Reutemann, although the Ferrari driver was soon overtaken by Jones. Reutemann then faded back to fall behind the recovering Peterson and Villeneuve.

On lap 38 Andretti made a mistake and Lauda took the lead. Andretti could do nothing about the fan car and settled for second position but on lap 47 his engine failed. This put Patrese up to second and Peterson to third, the Swede having by then passed Jones. The Australian’s race ended soon afterwards with a seized wheelbearing and so Laffite moved to fourth place. With a few laps to go the Ligier began to run out of fuel and dropped out of the points, leaving fourth place to Patrick Tambay (McLaren), fifth to Clay Regazzoni (Shadow) and sixth for Emerson Fittipaldi (Fittipaldi).

1 1 Niki Lauda Brabham-Alfa Romeo 70 1h41m00.606s 3
2 35 Riccardo Patrese Arrows-Cosworth 70 1h41m34.625s 5
3 6 Ronnie Peterson LotusCosworth 70 1h41m34.711s 4
4 8 Patrick Tambay McLarenCosworth 69 15
5 17 Clay Regazzoni ShadowCosworth 69 16
6 14 Emerson Fittipaldi CopersucarCosworth 69 13
Advertisements

3 Gedanken zu “Há 30 anos: A vitória única do carro ventilador

  1. Long time reader, first time poster.

    „(…) It is widely believed Bernie got something in return (…)“: Evidentemente que não tenho (nem posso ter) provas do que vou dizer, mas até hoje acredito que a ascenção do Tio Bernie ao ponto onde se encontra hoje, começou com o que ele conseguiu nessa „negociação“, que pode bem ter sido, na altura, apenas uma mera cedência de exploração de direitos comerciais. Mas acredito piamente que foi o 1º passo para transformar a F1 de hoje nesse espectáculo sem sal, sem sabor, sem emoção. É como a fruta „normalizada“: muito bonita, toda calibrada, mas sabe a pneu…

  2. Mais um texto do Gemani para os monoglotas de plantão:

    Os treinos para a oitava etapa do campeonato foram realizados com todas as atenções voltadas para os carros pilotados por Lauda e Watson. A equipe Brabham colaborou com o clima de fofocas e intrigas. Os mecânicos cobriam os exaustores dos carros assim que eles entravam nos boxes.

    A jogada de Murray era que o sistema permitia mais pressão aerodinâmica no eixo traseiro que um aerofólio com um ângulo pronunciado e obtinha a vantagem adicional de permitir a utilização de um aerofólio neutro, com evidente ganho nas retas.

    Bernie Ecclestone, então proprietário da Brabham, repetia a explicação do projetista Gordon Murray, dizendo que o exaustor foi construído para melhorar o resfriamento do radiador de água.

    O Brabham BT 46 era totalmente carenado, inclusive e principalmente cobrindo o motor e o câmbio. Abaixo do aerofólio traseiro foram instalados o exaustor e o radiador de água. Para compensar o desequilíbrio dos pesos, Murray projetou uma nova frente, cujos spoillers tinham uma angulação maior em relação aos antigos Brabham. O nariz era fino e tinha laterais em forma de pirâmide.

    Mario Andretti, revoltado e prevendo problemas para a sua, até então, imbatível Lotus 79, dizia que a alegação de que o exaustor servia para a refrigeração era um desrespeito a inteligência dele. Afirmou também, bastante irritado, que a Brabham atirava pedras e detritos nos pilotos de trás.

    Jody Scheckter, piloto do Wolf WR5, tinha outra interpretação para o assunto. Scheckter dizia que as rodas traseiras de um carro de F1, com suas 18 polegadas de largura, também atiravam pedras para trás com a forca de balas de um revólver.

    O futuro campeão mundial de 1979 foi definitivo quando disse que Gordon Murray tinha dado um salto à frente de todas as outras equipes, pois além de eficiente, o invento era muito barato e, por isso mesmo, genial e digno de aplausos.

    A pole position ficou com Mário Andretti, seguido pelas Brabham de Watson e Lauda. Em quarto lugar encontramos a Lotus de Peterson. As surpresas começaram com a 5ª colocação obtida pelo jovem Riccardo Patrese, a bordo de sua Arrows FA1. O desempenho de Patrese, considerado a revelação do ano, foi ainda mais destacado pelo fato de o seu companheiro de equipe, Rolf Stommelen, ter ficado com a última posição no grid.

    Em 6º lugar, Jody Scheckter provou que o seu Wolf WR5 estava melhorando. Durante boa parte dos treinos a pole position era sua. As duas Ferraris ficaram em 7º e 8º, com Villeneuve e Reutemann, respectivamente.

    Emerson Fittipaldi, pilotando um Copersucar Fittipaldi F5A, ficou em 13º lugar no grid. Emerson argumentou que os reforços na carroceria aumentaram o peso do carro de 615 para 640 kg. É importante destacar a evolução, lenta e gradual, do único carro turbo da F1 em 1978. Jabouille, pilotando o Renault Turbo RS 01 ficou com o 10º tempo.

    A largada do Grande Prêmio da Suécia foi dada com tempo quente e seco, no circuito de Anderstorp, em um Domingo 17 de junho de 1978. Andretti pulou na frente, seguido por Lauda que fez uma excelente largada. Seu companheiro, Watson, ao contrário, fez uma droga de largada e caiu para 5º lugar.

    Em 3º estava Patrese, seguido por Peterson, Scheckter, Reutemann e Jones. Em 8º vinha Villeneuve, perseguido por Depailler, Jabouille, Laffite, Tambay, Hunt, Emerson, Regazzoni, Brambilla, Pironi e Stuck.Andretti e Lauda se distanciaram dos outros.

    A Suécia e o mundo tiveram a agradável sensação de observar a Lotus encontrar um adversário a altura. Depois de quatro voltas, Andretti e Lauda abriram 3 segundos.

    Scheckter, com problemas no motor (abandonaria logo depois), perdeu a 5ª posição para Reutemann.

    Emerson perdeu uma posição para Hunt e foi bastante pressionado por Regazzoni que pilotava um Shadow DN9. Depois de algumas voltas, no final da reta, Regazzoni emparelhou e forçou a ultrapassagem. Emerson aliviou. Rega estava impossível.

    Na volta 9, Brambilla, sutil como uma locomotiva, tentou uma ultrapassagem impossível sobre Pironi. Mandou o francês para o mato e, solidário, foi junto.

    Para delírio do público sueco, Peterson, querendo a primeira vitória em casa, voava na pista, fiel ao seu estilo espetacular. Na 11ª volta assume a terceira posição ao ultrapassar Patrese. Duas voltas depois, Peterson tem um pneu furado, vai para os boxes e cai para o 17º lugar.

    Watson quebrou e abandonou na volta 18. Chegamos à metade da corrida, Andretti em primeiro e Lauda fungando no cangote dele. Longe, muito longe, vinham Patrese e Jones.

    Um magnífico Ronnie Peterson já estava em 5º lugar, passando por cima de todo mundo. Em 6º lugar, Reutemann comboiava Villeneuve, Laffite, Tambay e Regazzoni.

    Hunt, em 11º lugar, estava à frente de Emerson, Depailler, Stuck e Mass. Alan Jones quebrou na volta 43.

    Niki Lauda, finalmente, ultrapassa Andretti com uma brilhante manobra de vácuo. Andretti tentou acompanhar Lauda e, forçando bastante, explodiu o motor do seu Lotus, abandonando a corrida. Lauda liderava, seguido por Patrese e Peterson.

    Tambay, com uma pilotagem redonda, aproveitou as paradas dos outros pilotos para a troca de pneus e se colocava na zona de pontuação. Com Lauda disparando na frente, as atenções de todos estavam concentradas nas tentativas de Peterson roubar o segundo lugar de Patrese. O italiano fechou a porta em todas as curvas e manteve a posição. Peterson reclamou muito, dizendo que Patrese estava dirigindo como um piloto de F3.

    Lauda venceu e fez uma excelente corrida. Patrese, a revelação do ano, foi um brilhante segundo lugar. Peterson, o terceiro, foi o melhor piloto da corrida, o mais combativo. Tambay foi muito regular e não cometeu erros. O quinto lugar conquistado por Regazzoni foi muito festejado, provando que consegue andar rápido sem cometer loucuras. Emerson fez uma corrida de chegada, poupando o carro. Marcou um pontinho bastante festejado pela equipe.

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s