2ª-feira,

2nd of June – Nigel Mansell decides to wave to his fans during the last lap of the 1991 Canadian GP as he cruises to what seemed to become yet another dominant win. But as the electronic brain of his Williams-Renault gets all confused as to why the driver would want to drop the revs below the recommended level and simply disengages the clutch, Nelson Piquets drives past the frustrated Englishman to score what would turn out to be his last ever victory in Formula 1.

*

2/6/1956, Johannes Lammers is born in Zandvoort, Netherlands.

An European Formula 3 Champion, Jan Lamers got an offer to join the Shadow F1 team, with backing from the Samson tobacco company. He made a big impression qualifying his ATS fourth at Long Beach in 1980. He switched to Ensign later in the year and then ended up with Teddy Yip’s Theodore before breaking his thumb in an accident. After that he struggled in various parts of the world before finally finding his feet in sports car racing with Tom Walkinshaw’s TWR Jaguar sports car team which led to second place in the World Sportscar Championship in 1987 and victory at Le Mans in 1988 with Andy Wallace and Johnny Dumfries and a win in the Daytona 24 Hours in 1990 with Davy Jones and Wallace.

In 1992, after an absence of 10 years, he returned to F1 with the struggling March F1 operation and testing for the stillborn DAMS F1 team. In the end, however, he gravitated to Japan where like many others he earned good money and eventually set up his own sports car team, called Racing for Holland which raced Dome-Judds. These have been quite successful over the years and Lammers nowadays also runs the Dutch national team in the A1 Grand Prix series.

*

Bruce McLaren 2/6/1970, Bruce Leslie McLaren dies.

His name lives on in Team McLaren which has been one of the most successful in Formula One championship history, with McLaren cars and drivers winning a total of 19 world championships. McLaren cars totally dominated CanAm sports car racing with 56 wins between 1967 and 1972 (and five constructors’ championships), and have won three Indianapolis 500 races, as well as 24 Hours of Le Mans and 12 Hours of Sebring.

He was noted by great Australian driver Jack Brabham at the New Zealand Grand Prix in 1958 and joined the Cooper factory F1 team alongside him in 1959. His first GP win came at the 1959 United States Grand Prix at age 22, becoming the youngest ever GP winner up to that time. He followed that with a win in the Argentina Grand Prix, the first race of the 1960 Fomula One season.

McLaren won the Monaco Grand Prix in 1962, a year later he founded Bruce McLaren Motor Racing Ltd, which remains in the Formula 1 championship simply as Team McLaren. McLaren continued to race and win in Coopers and left at the end of 1965 to announce his own GP racing team and won his first GP in his own McLaren car at Spa in 1968.

Besides F1, Bruce won with co-driver Chris Amon the 1966 24 Hour race at Le Mans in a Ford GT40. And with team-mate Denny Hulme he dominated the Can Am-Series well into 1970, but sadly suffering a fatal accident when a piece of bodywork flew from the new M8D Can-Am car while testing at Goodwood. It send the car off the track at high speed, hitting a flag station and killing Bruce upon impact.

Born: 30th of August 1937 in Auckland, New-Zealand;
Died: 2nd of June 1970 at Goodwood circuit, UK, aged 32.

Advertisements

10 Gedanken zu “2ª-feira,

  1. Essas trapalhadas do Mansell… só justificam a definição do Piquet: um idiota veloz. Mas quando não protagonizava cenas engraçadas como essa, promovia bons espetáculos.

    Faltam pilotos mais ousados, que façam show nas pistas, embora o próprio regulamento técnico seja uma barreira pra o espetáculo.

  2. Prezado Mario, sei que tu não tens o hábito de comentar boatos e fuxicos de bastidores, mas gostaria de saber tua opinião a respeito do futuro na F-1 do filho de um dos protagonistas do evento hoje relembrado: Nelson Ângelo Piquet. Embora eu saiba que o desempenho do rapaz não esteja empolgando, não me convenço de que ele não possa atingir um nível superior de desempenho nas pistas – e torço muito por isso! Considerando, porém, o que vem ocorrendo, ele está mesmo com a carreira comprometida? Ou ele ainda tem respaldo? Agradeço, desde já, tua costumeira atenção, deixando-te à vontade para nada falar sobre esse assunto, se assim entenderes conveniente.

  3. Vitor:O Mansell e o Piquet foram os pilotos mais divertidos da F1. Por razões opostas. Um era exatamente o antípoda do outro. Piquet era um dos mais „inteligentes“… Mansell um dos mais „burros“…Isso se fosse pra medir o QI de modo convencional. ]

    O Mansell era um idiota veloz como disse o Piquet. Mas a velocidade é uma forma de inteligência, também, né não? E nesse sentido o Nigel era um atacante (um cara capaz de cometer ultrapassagens do mesmo jeito que Garrincha cometia seus dribles) como nunca teve um ultrapassador que nem o britânico (outro digno de nota foi o Montoya)

    O Nigel foi pra Indy e venceu. O Piquet infelizmente deu uma de „Mansell“ suicida no evento. Muito complicado julgar, quem é quem, num nivel desses. Só dá pra agradecer que esses dois caras existiram.

  4. GP do Canadá, Montreal, 02 de junho, 1991

    A última vitória de Nélson Piquet na Fórmula 1 aconteceu no GP Canadá no circuito Gilles Villeneuve. O brasileiro preferiu poupar os pneus Pirelli e a mecânica do Benetton-Ford B191 no início da corrida deixando para atacar no meio da prova, envolvendo-se numa acesa disputa com Senna, Prost e Alesi. Quando já tinha um merecido segundo lugar assegurado depara com o então líder Mansell encostado na beira do circuito, abrindo-lhe a porta para a 23ª vitória de sua brilhante carreira.

    Nas vésperas dessa corrida, houve grandes mudanças acontecendo na Ferrari, com o diretor esportivo Cesare Fiori tendo sido despedido após o GP de Mônaco (como resultado de uma discussão pública com o piloto Alain Prost). Fiori foi substituído por Piero Lardi Ferrari. Também ocorreram mudanças na Benetton com o diretor técnico John Barnard se desentendendo com o chefe de equipe Flavio Briatore e saindo da equipe. Então foi a vez de Gordon Kimball ser nomeado para o cargo. O piloto da Footwork Alex Caffi estava fora de ação após quebrar a mandíbula em um acidente de carro e seu lugar foi ocupado por Stefan Johansson, enquanto Julian Bailey, que estava muito mal na Lotus, foi substituído por Johnny Herbert.

    Na qualificação no Canadá, Riccardo Patrese fez a pole position para a equipe Willians-Renault na frente do seu companheiro Nigel Mansell. Ayrton Senna foi o terceiro na sua McLaren, enquanto Alain Prost foi o quarto com a Ferrari. Roberto Moreno (Benetton) ficou em quinto lugar com Gerhard Berger (McLaren) em sexto, Jean Alesi (Ferrari) era o sétimo e Nélson Piquet (Benetton) o oitavo. Dos dez primeiros foram completados por Stefano Modena da Tyrrell-Honda e o mais rápido dentre os pré-qualificados, Emanuele Pirro no seu Dallara.

    O sistema de pré-qualificação foi desenvolvido em resposta ao crescente número de equipes competindo na Fórmula 1. Ficou decidido que 30 pilotos seriam o limite máximo permitido para competir pelas 26 vagas no grid. Os carros que tiveram de pré-qualificar eram decididos no início e no meio de cada temporada. Assim os 26 carros que tinha conseguido os melhores resultados nas últimas duas meias temporadas estavam automaticamente inscritos para o treino oficial de qualificação para a corrida. Todos os outros carros excedentes tinham que participar na sexta-feira de manhã um treino extra, com os quatro melhores se juntando aos classificados para os treinos oficiais. Aqueles que não se pré-qualificassem, simplesmente voltavam para casa.

    Na largada Mansell ultrapassou Patrese e assumiu a liderança, seguindo com essa formação nas primeiras 40 voltas. Então Patrese teve um furo no pneu e teve de ir aos pits e com isso caiu para o terceiro lugar atrás de Piquet. Mansell continuou a liderar com uma confortável vantagem de 50 segundos até a última volta, quando estava acenando para a torcida, resolveu poupar o carro. Diminuiu drasticamente o andamento e, com isso, o motor ficou muito tempo funcionando em regime de rotação muito baixo. Dessa forma, o alternador não enviou carga à bateria e o motor apagou.

    Como aquele Williams foi o primeiro carro de Fórmula 1 que juntou câmbio, suspensão ativa, acelerador e controle de tração, tudo eletrônico, o câmbio apagou junto, em ponto morto, impossibilitando o aproveitamento da inércia para fazer o motor voltar a funcionar. Ele abandona com menos de uma volta para percorrer. Com isso Piquet, velho rival de Mansell, ruma para uma muita comemorada vitória, em segundo chegou o não menos surpreendente Modena. Patrese foi o terceiro com Andrea de Cesaris e Bertrand Gachot nos Jordans em quarto e quinto, com Mansell classificando em sexto. De resto, todas as McLarens e Ferraris saíram com problemas mecânicos.

    „Reduzi o ritmo a duas voltas do final, pois a pista estava muito suja e queria garantir o meu segundo lugar. Foi então que, no decorrer da última volta, ouvi os engenheiros gritarem no rádio: ‚Vai, vai… O Nigel parou!‘ Nem queria acreditar, mas foi uma surpresa bem agradável. Ganhei graças ao azar dos outros, mas foi uma vitória e isso é que conta. Foi um resultado fantástico para a equipe, após o recente período de trabalho árduo com o carro novo. O carro, o motor e os pneus foram perfeitos, mas temos ainda muito trabalho a realizar e passar a conhecer melhor o carro, por isso esse resultado vai aumentar a motivação e dar novas energias a toda à equipe. À parte da emoção do início e do final da corrida, aborreci-me bastante ao rodar sozinho durante quase toda a corrida. Provamos ser tão competitivos quanto as McLaren e as Ferraris, o que é positivo, mesmo com as Williams se destacado de todos“, comentou Piquet.

  5. Ih, fiz pesquisa em um monte de lugar, revista especializada, sites de boa procedência (eles existem), depoimentos do Piquet sobre a corrida, vídeo da corrida… Dá um trabalho dos diabos mas vale a pena.

  6. Tenho costume de fazer textos sobre a Indy Car já tem um tempo, com a ajuda de alguns amigos. Tenho até um blog que trata do assunto que o Speeder_76 e o Rodrigo Mattar deram uma olhada por esses tempos chamado champcarbrasil.blogspot.com

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s