Ferrari condenou Kimi a zero pontos em Mônaco

“O que aconteceu com o Räikkönen em Mônaco, hein…?” A frase mais comum no inbox do meu e-mail na semana passada. Minha resposta? “Não sei.” Ao contrário dos sabichões, que sabiam de tudo: Tava de ressaca, brigou com a mulher, dormiu no iate e estava tonto. Bem, depois de algumas conversas tenho pelo menos algo sensato a oferecer.


Sabe aquela galera, tipo bactéria do cocô do cavalo do bandido, que lê “Caras” e acha que tem cultura, que faz horrores no trânsito se achando piloto, que anda de indoor-kart e acha que entende de acerto de carro de corrida? Estes queriam ver o campeão mundial crucificado pela péssima performance em Mônaco.

Pergunto: Quando você estava a ultima vez ao volante de um carro fórmula dando tanta chicotada como a Ferrari do Kimi o fez na saída do túnel de Mônaco? Eu em 1985, ao volante de um Martini Formula 3 no frio do outono alemão de Hockenheim em uma curva de 4ª marcha. Foi nada engraçado. Motivo: O camber exagerado da frente aqueceu os pneus rapidamente, mas na traseira erraram a pressão dos pneus, não chegaram à mesma temperatura dos da frente…

O Räikkönen já tinha perdido qualquer chance de marcar pontos nesta corrida, pois esta brincadeira de tirar as rodas no grid e esperar até o ultimo segundo para fixar as rodas de novo acabou com o GP dele. Um simples probleminha com a porca, o martelo, ou o que seja, tornou este ato desnecessário em uma infração do procedimento. Pelo regulamento o carro deve estar no chão com todas as rodas montadas ao sinal de 3 minutos. Se não for o caso, o regulamento prevê impedir o carro de sair para a volta de apresentação e posicioná-lo no fundo do grid…

É claro que o que o diretor de provas resolveu fazer, deixar largar o finlandês da sua posição e dar-lhe um drive-through invés, o manteria na briga. Só Hamilton conseguiu ganhar posição nessa esquisitice. Mas se Räikkönen tivesse largado em ultimo, teria acontecido o acidente com o Sutil mesmo assim? O que me espanta é que as outras equipes não protestaram já durante a corrida. Colin Kolles e Mike Gascoyne da Force India protestaram depois, mas não obtiveram êxito algum. Que surpresa…

Bom, então à destruição dupla do aerofólio dianteiro: Você já andou com um carro fórmula na chuva? Já? E que tal ter quatro pneus com a pressão inferior ao valor indicado? Já tentou essa? Eu já. Sem querer, é claro. E garanto que não quero repetir a dose. Aos 200 km/h o carro começou a sair de traseira. Em plena reta! Desequilibrou completamente, perdeu o contato com o solo como se estivesse planando.

O que acontece é que com a pressão inferior o pneu está mais vulnerável ao aqua-planing, aumentando a pressão do pneu dá uma melhora significativa. Mas se você estiver com a pressão mais alta, e a pista secar rapidamente, você tem outro problema: O pneu não só desgasta mais, a temperatura também sobe cada vez mais e diminui a área de aderência subitamente. O problema é que no meio de um GP não tem essa mordomia de ajustar pressão, é uma decisão do engenheiro da equipe em conjunto com o engenheiro da Bridgestone.

E aí que está: Os dois engenheiros da Ferrari e o da Bridgestone parecem não ter entrado em acordo no que fazer e por final erraram a pressão dos pneus em vários momentos: Duas vezes no caso do Kimi e uma na ultima troca do Massa. Parece até equipe de fim de semana para cometer tanto erro grosseiro. Mas quando comentei na pré-temporada, que a Ferrari teria que provar que ainda funciona sob domínio italiano, fui quase esquartejado…

Confesso que quanto vi a Ferrari descontrolada e o Kimi serrando no volante logo me lembrei da minha luta com o meu Martini-Spiess em Hockenheim. Na época tive a sorte que não tinha ninguém na minha frente. Pois não tem como diminuir a velocidade, você vira passageiro. Muito estranho o Kimi perder o controle alí, considerando que é a parte mais veloz do circuito e a aderência ali é a maior de todos os trechos.

A única explicação coerente me parece uma reação em cadeia. Na freada a pressão aerodinâmica diminui rapidamente, tem uma ondulação ali, baixou marcha ao mesmo tempo, provavelmente tinha escolhido um acerto agressivo de desaceleração do diferencial e ainda pneus traseiros super-inflados… pronto, o campeão mundial ficou com cara de piloto de “bumper car” – igual ao desenho do genial Bruno Mantovani

Advertisements

23 Gedanken zu “Ferrari condenou Kimi a zero pontos em Mônaco

  1. É, eu fui um a zombar o Kimi, achando que ele tinha exagerado na dose e dormiu no iate, mas na real sabia que não era isso, a equipe não o deixaria fazer algo do tipo, e acredito também que ele não seria irresponsável a ponto disso.

    Essa é a explicação mais plausível para o que aconteceu, Ross Brawn faz mesmo muita falta…

    Mudando um pouco de assunto Mario, você poderia voltar a contar mais curiosidades e outros fatos dos bastidores da F-1, como costumava fazer. =)

    Abraços e parabéns pelo blog, quase 200 mil visitas!

  2. Oii Mário, texto muito interessante seu.
    Eu tb acho que algo além do normal aconteceu em Mônaco com a Ferrari, na hora da corrida eu até brinquei com o meu sogro falando que o bozo do estrategista da McLaren andou passiando em Maranelo.

    Outra coisa… você tinha respondido meu e-mail, eu te mandei outro e você não me respondeu. Quando você puder por favor responda-o, estou contando bastante com os seus valiosos conselhos.
    Abraço!

  3. Me explica melhor essa informação sobre a pressão dos pneus do raikkonen durante a corrida. É uma hipótese ou alguém te passou essa informação?

    obrigado

  4. Não vi seu comentário em lugar nenhum, Tadeu. Mas creio que você sabe que não se trata somente do comentário, mas sim, por quem e como é feito.

    Tem uma galera de desocupados que entendem tanto de Formula 1 como de balé – você escolhe – e foi direcionado a estes que escrevi o tal trecho.

  5. Ainda na emporada passada, na Austrália comentei em outros blogs que a Scuderia sentia flta do Brawn, quando o Masa saiu com o cambio montado errad as pressas (se não falha, acho que depois que ele deu um toque mais forte numa „kerb“ mais alta) não conseguiu se classificar bem, largou lá atrás e inves de tirar proveito do carro então 1s mais rapido fazendo o largar vazio pra passar todo mundo e tentar ir pra frente, não largaram pra uma parada só

    Aí, pouco depois, voce aqui no blog comentou isso do comando novamente italiano da equipe, e o pessoal te criticou, hj sabemos que é fato, toma se muita decisão errada e passional la dentro, dai que vem fazer falta Brawn, Byrne e Todt, que são „não latinos“ e portanto menos passionais, mais centrados

  6. Olá… excelente o texto… e explica parte das lambanças da Ferrari. Automobilismo é um esporte de equipe, por isso creio que o certo é dizer, por exemplo, que a equipe (Massa e Ferrari) erraram na estratégia (confiando cegamente na chuva).

    Uma possível diminuição na pressão dos pneus explicaria a batida do Kimi em Sutil, mas a falta de aquecimento dos freios também (em uma suposição, como não freou como devia por faltar aquecimento, ele meteu mais ainda o pé e aí perdeu o carro no aguaceiro, daí aquelas corrigidas para tudo quanto é ldo) e dos pneus também.

    Por outro lado, em nenhum – sejam os globais, sejam os sérios – canal de comunicação, site, blog, rádio etc, foi soerguida a possibilidade levantada aqui.

    O próprio Kimi preferiu se dirigir ao Sutil e pedir desculpas, assumindo o erro, em um ato de homem e muito louvável (aliás, Alonso também assumiu seus erros, será coincidência serem os 02 melhores do grid?).

    O que estou tentando dizer é que não precisamos procurar excusas ao Kimi (ou ao Alonso) pelo péssimo fim de semana que tiveram em Monte Carlo. A equipe errou (aliás, a Renault também errou…) com o finlandês, mas o piloto também estava mais lento que o costume – e isso não é demérito algum.

    Ninguém é obrigado a ser 100% em 100% das provas e o cara é campeão… não tem de provar nada a ninguém – aliás, pela personalidade dele, aposto que ele sempre pensou assim.

    É inconteste que Kimi pilotou mal, mas muito mal mesmo e estava mais lento que o usual (bem mais lento).

    E mesmo assim…. chegaria em 05º!

  7. Só para esclarecer: Hipóteses tenho logo após a corrida na base das observações feitas.

    O que aparece com um certo atraso, é o que pesquisei com quem trabalha no meio – e não estou falando de outros jornalistas.

    Por isto não adianta cobrar comentários meus sobre algo, do qual não tenho certeza. Prefiro então me ausentar. Pelo menos até saber exatamente do que realmente se trata.

    Do resto considero esta temporada extremamente tediosa. A Ferrari tem de longe o melhor conjunto, na McLaren o Lewis é o número 1 e o Alonso não tem carro nem pra brigar com a BMW. Qual é a graça então…?

  8. O Impressionante foi o Kimi conseguir segurar o carro. Outro piloto teria batido já na primeira chicotada. Por exemplo o Coulthard que bateu ali com a pista completamente seca (Condição beeem mais tranquila pelo que dá para aprender do Mario)

    O Kimi fez a melhor volta da prova. Ele fez isso pela 26a vez na carreira, o mesmo número do Clark. Está certo que não tem nada ver comparar com a época do Jim (eram muito menos corridas) mas mesmo assim é expressivo! E o Finlândes é o piloto em atividade que tem mais voltas rápidas.

    A F1 tá muito big brother. Passa uma corrida e pilotos vão pro paredão, aí tem outro que o cara vira anjo ou deus.
    O Massa estava no paredão no começo do ano. Sem querer bancar ufanista chato…Ele surprendeu todo mundo, até o engenheiro dele e a si proprio com a pole em Mônaco…

    O Incrível mesmo foi que se o campeonato acabasse em Mônaco a Ferrari teria conseguido perder o campeonato mesmo tendo com o melhor carro. Exatamente a mesma coisa que a Mc conseguiu fazer o ano passado…

  9. Mario, bem que eu tinha achado estranho o Kimi errar tanto em uma corrida. Meu ídolo, na minha opinião, é o melhor piloto no grid atualemente. Estranho o Chris Dyer cometer um erro desses. até porque o massa chegou a colocar 12 segundos no Raikkonen. Obrigado por essa informação.

  10. Concordo com o Brar Soler, fiquei impressionado de cara com a habilidade do finn em corrigir as chicotadas e continuar na pista, embora se chapoletando no Sutil.
    Invariávelmente a performance do campeão foi tremendamente criticada (num blog em especial, de um jornalista que vai às corridas, foi denominada „excretória“), sem a menor consideração, por hipotética que fosse, dos problemas com que o piloto teria sido ‚presenteado‘ por sua equipe.
    A análise do Mario é mais razoável pois se trata de um esporte de equipe, e os dois pilotos da Scuderia parecem mesmo terem sido prejudicados por erros de outros membros da equipe.
    A F1 tá muito BigBrother porque a maioria da imprensa só consegue vê-la assim, e nós espectadores ficamos sujeitos a absorver essas pseudo avaliações.
    Bom, sem saco de me extender nessas análises, gosto mesmo é das histórias de corridas antigas.
    abs
    Amaral

  11. PS: sem esquecer que também é exceção no panorama geral das críticas a charge do Mantovani, genial.

    Amaral

  12. Brar Soler, depois daquela história de que o Kimi andou sem controle de tração em Mônaco, quando ainda corria de Sauber, e marcou o sétimo tempo, não chega a ser tão surpreendente… o cara é fera!!

    Mario sempre com informações de primeira qualidade – que por sinal, é melhor do que de informação de primeira mão; o que tem de jornalista que prioriza as famosas notícias „bombásticas“ sem se dar o trabalho de checar a veracidade…

    E não é surpreendente que muitos tenham se animado em descer a lenha no Kimi; afinal, como justificariam as cag**** do nosso Massinha? „É, ele também erra/foi campeão na sorte“ entre outras pérolas…

  13. O problema foi realmente os pneus, desde do inicio da prova.

    Com pista molhada, chovendo forte e secando e pista seca.

    O finn disse: „Não conseguia fazer os pneus trabalharen adequadamente“.

    Creio que os problemas foram para todas e conseguir um acerto nessas condições é muito complicado.

    As voltas do Kimi foram decepcionantes , principalmente ao se comprar com Massa, foi realmente muito estranho.

    É complicado culpar totalmente a equipe e ausentar de culpa o piloto. Sutil fez uma excelente prova , registrando voltas mais rapidas e em nenhuma condição o seu carro seria melhor doq a Ferrari.

    Não estou duvidando do talento do finn, apenas que ele estava em um pessimo dia. E eu não especulei os motivos.

    O consenso é que Kimi ande melhor que Massa e recupe a vantagem conquistada anteriormente, porem esse era o mesmo consenso que Kimi andaria melhor que Massa em Monaco.

    De qualquer forma os rossos esperam que a McLaren não continue na ascencedente que vem desde do Mont´meló e os problemas nas curvas de baixa permaneça.

    Senão o negão vai abrir vantagem no campeonato e os dois pilotos de maranello vão brigar , e se atrapalhar , ao buscar a liderança.

    Isso que espero.

    Como Prost em 86 , aproveitando da briga entre Mansell e Piquet.

    Abraços.

  14. Parabéns Mário pelo seu blog, gosto muito das explicações bem técnicas, continue assim.
    Att Marco Peres

  15. Mário olha o video que achei sobre uma corrida promocional da Mercedes em 1984. Nomes famosos como Emerson, Lauda e Prost participaram da corrida, assim como o novato Ayrton Senna.
    O link está abaixo

    E gostaria de saber se você também participou da corrida, pois pela época me parece que ainda corria na Alemanha, estou errado?

  16. Mario, não vai responder minha pergunta. Gostaria de saber se você também participou da corrida, pois pela época me parece que ainda corria na Alemanha, estou errado?

  17. Deixe me tirar um dúvida, Cadu: Você acredita que sou obrigado a responder qualquer tipo de pergunta? Até as mais óbvias? Porque estaria eu participando de uma corrida, onde somente pilotos da Formula 1 foram convidados…?

  18. A resposta parece óbvia: eu não sabia que só pilotos da Fórmula 1 foram convidados a participar da prova. A prova era da Mercedes, foi realizada na Alemanha, pensei que talvez alguns pilotos que competissem nos campeonatos locais tivessem sido convidados, mesmo que pudessem ser de um nível mediano, sei lá…

  19. Me parece óbvio duas coisas:

    1) não te nada a ver com o assuto deste post;

    2) A prova não era da Mercedes, mas tratava-se de uma corrida de exibição durante a inauguração do novo circuito de Nürburgring em 1984. Por acaso disputada como modelos 190E da marca.

    Leia bem o „about“ do blog. Ando meio sem paciência ultimamente com certo tipo de abordagem.

  20. Mas que revolta hein? Pelo amor de Deus não te agredi em lugar algum aqui, só postei o video, pois assisti o mesmo pela primeira vez hoje e lembrei que você sempre falava nas coisas da Alemanha. Perdoe a minha ignorância diante do seu poço de sabedoria, pois pelo que eu soube se tratava de um evento da Mercedes.

  21. Pois é, Cadu. Depois de tanta idiotice postada por aqui ultimamente, ficou difícil distinguir. É como tudo no Brasil, quem só pede informação acaba pagando o pato por conta das imbecilidades dos outros.

    Entendi agora que não foi a sua intenção de provocar.

    Mas vou ser sincero: Não gosto de ser cobrado! E nem estou online 24 horas por dia para ser cobrado desta forma. Então favor não insistir desta forma! Não gostei.

    Vale sempre: Perguntas feitas com refinamento, mostrando boa educação e vontade de interagir de forma cultivada, terei sempre o maior prazer de responder. Assim que puder, é claro.

  22. Ainda assim, a pergunta que nao quer calar…
    Se acontecesse o contrário, o sutil batido no Raikonnen?
    Com certeza iria ter muita gente querendo cassar a super licensa do Adrian, sem querer saber o real motivo.
    Ótimo texto.
    Abraçosss

  23. Muito legal o comentário do Mario Bauer „Kimi serrando o volante“. Pra lá pra cá. O Kimi ficou com cara de bandido no lance porque acertou o Sutil. Suponho que isso explica a reação exacerbada da imprensa .

    No tal blog „do jornalista que vai as corridas“, como sitou o F.Amaral tem um link em que os CINCO jornalistas deram nota zero pro Kimi. Unanimidade! Toda unimidade é burra, mas esses caras bateram um recorde! Já podem trabalhar na imprensa italiana.

    Outra. Um monte de gente (inclusive pilotos de F1) falava que o controle de tração ia fazer uma falta danada ainda mais numa condição com pista molhada e num circuito como Mônaco ia ser perigoso. Agora ninguém fala mais nada?

    Só pode ser porque os caras andaram lendo escondido esse texto do Mario Bauer e chegaram a conclusão que a temperatura do pneu, pressão, calor etc… é muito mais importante do que o tal Ct, que faz diferença sim, mas não tanto quanto supunha o senso comum.

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s