Há 50 anos: Moss vence pela Vanwall

Tony Vandervell, dono da equipe Vanwall, sentia-se com certeza orgulhoso ao ver seus carros alinhados na primeira fila, aguardando a largada, e Stirling Moss confirmava seu posto de favorito à vitória.


A terceira etapa do Campeonato Mundial acontecia apenas uma semana após Mônaco, e então a lista de inscritos não mostrava grandes mudanças, com a Vanwall alinhando Stirling Moss, Tony Brooks e Stuart Lewis-Evans.

Ferrari tinha Peter Collins, Mike Hawthorn e Luigi Musso. A Cooper oficial inscreveu dois carros, para Jack Brabham e Roy Salvadori, e Rob Walker colocava um seu Cooper para Maurice Trintignant. BRM tinha carros para Jean Behra e Harry Schell, Lotus tinha para Cliff Allison e Graham Hill, e o grid se completava com três Maseratis 250F particulares e um Porsche F2 da Ecurie Maarsbergen, para o herói local Carel de Beaufort.

A equipe Vanwall dominara os treinos com Lewis-Evans na pole à frente de Moss e Brooks. Behra dividia a segunda fila com Brabham enquanto Hawthorn de novo era o mais rápido das Ferrari, dividindo a terceira fila com Schell e Trintignant. A prova foi realizada num feriado de segunda-feira e uma multidão compareceu para assistir. Moss foi o mais rápido à partida e liderava Lewis-Evans, um também veloz Schell e Brooks, que tinha sido atingido por trás e teria de parar para reparos depois de duas voltas. O que significou que Salvadori tomou o quarto posto.

Na volta 12 Schell conseguiu superar Lewis-Evans, mas então Moss tinha já uma grande vantagem. Mais atrás Behra ultrapassou Hawthorn e Salvadori para ficar em quarto, isto se tornando um terceiro na volta 47, quando Lewis-Evans abandonou com motor quebrado. Assim Moss vence adiante de Schell e Behra, com Salvadori quarto, Hawthorn quinto e Allison sexto em sua Lotus.

Harry Schell então pode dar à BRM um bem vindo segundo lugar. O terceiro posto no pódio ficou com o veterano francês Behra, que continua a impressionar independente do carro em que senta. E os Coopers, recém saídos de vitórias em Buenos Aires e Mônaco, tinham sido menos eficientes dentre as dunas de Zandvoort, apesar dos três carros percorrerem toda a distância.

VI Grote Prijs van Nederland – Grande Premio da Holanda de Formula 1 de 1958, Zandvoort.

Pole Position: Stuart Lewis-Evans, Vanwall 57 2.5, 1m 37.1s, 155.456 km/h (96.616 mph) de média.

Resultado final: Vencedor – Stirling Moss, Vanwall 57, 75 voltas x 4.193 km (2.601 milhas) = 314.475 km (195.447 milhas) distancia total de corrida em 2h 04m 49.2s, 151.166 km/h (93.95 mph) de média.

2) Harry Schell BRM P25 2.5 + 47.9
3) Jean Behra BRM P25 2.5 + 1m 42.3s
4) Roy Salvadori Cooper T45-Climax 2.2 + 1 volta
5) Mike Hawthorn Ferrari 246-2.4 V6 + 1 volta
6) Cliff Allison Lotus 12-Climax 2.2 + 2 voltas

Melhor voltap: Stirling Moss, Vanwall 57 2.5, 1m 37.6s = 154.660 (96.122 mph) de média.

Marco entre fornecedores:

– A Dunlop conquista a melhor volta pela primeira vez em GP de Formula 1

Advertisements

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s