Há 25 anos: Tambay homenageia Gilles

Vencer um GP pode ser um assunto emocional na melhor das vezes, mas a mágica nunca foi tão forte como neste. A multidão conseguiu exatamente aquilo que queria, a vitória foi do homem mais popular do paddock, e todo o assunto parecia ser guiada por uma força invisível.


O dia de corrida foi um daqueles maravilhosos dias italianos com céu claro e um sol brilhante, e 100.000 tifosi chegaram ao circuito com altas esperanças de uma vitória da Ferrari. O francês começava a corrida em terceiro atrás de Arnoux e Piquet no mesmo local que Villeneuve tinha iniciado sua última corrida. Durante a noite os fãs pintaram uma folha de acerácea (a folha símbolo da bandeira canadense) no grid em honra de Villeneuve, um ato que emocionou Tambay levando-o às lágrimas antes da corrida começar.

O motor de Piquet apagou no grid de largada, sobrando assim somente a Brabham de Patrese para desafiar as Ferraris. Mas Arnoux largou bem com Tambay atrás e a multidão foi ao delírio no local com as duas Ferraris na liderança. O francês perdeu sua posição para Patrese após apenas duas voltas e foi forçado a assistir tudo conforme a Brabham disparava na perseguição a seu companheiro de equipe. Patrese assumiu a liderança depois de seis voltas e parecia com a corrida sob controle antes de fazer uma desastrosa parada na volta 34. Em seu ímpeto para entrar e sair rápido Riccardo errou o seu pit. Uma esticada maior do martelo de ar fez com ele perdesse sua mangueira e Patrese piorou as coisas ao falhar em manter seus freios funcionando durante a mudança do volante. No momento em que ele retornou à corrida, Tambay tinha assumido a liderança e construído uma confortável vantagem de 10 segundos.

Patrese perseguiu duramente e pela volta 47 tinha baixado para 5 segundos esta diferença. Cinco voltas, a liderança para Tambay havia diminuído para apenas 1.5 segundos. A multidão ficou apreensiva. Na volta 55 a Brabham conquistou a frente assim que a dupla entrou no grampo da Tosa. Com apenas duas voltas para o final parecia que Ferrari sucumbiria ao obstáculo final, então Patrese cometeu outro erro e passou longe na Acque Minerali. Ele acertou as “aceráceas” e atravessou a parede de pneus. A corrida pertencia a Tambay, à Ferrari e à memória de Gilles Villeneuve. Sobre o pódio o francês disse: “Eu juro que não era eu dirigindo aquele carro aquele dia. Eu senti como se Gilles estivesse lá comigo”.

GP de San Marino de Fórmula 1 de 1983, Ímola, Itália.

Pole Position: René Arnoux, Ferrari 126C2B, 1m 31.238s, 198,865 km/h (123.595 mph) average.

Race Result: Winner – Patrick Tambay, Ferrari 126C2B, 60 laps x 5,040 km (3.132 miles) = 302,400 km (187.920 miles) total race distance in 1h 37m 52.460s, 185,381 km/h (115.215 mph) de média.

2) Alain Prost, Renault RE40 + 48.781s
3) René Arnoux, Ferrari 126C2B + 1 volta
4) Keke Rosberg, Williams FW08C + 1 volta
5) John Watson, McLaren MP4-1C + 1 volta
6) Marc Surer, Arrows A6 + 1 volta

Melhor volta: Riccardo Patrese, Brabham BT52, 1m 34.437s na volta 47 = 192,128 km/h (119.408 mph) de média.

Marcos entre as equipes e fornecedores:

– A fornecedora de combustíveis e lubrificantes Elf comemora o 750º GP de F-1

– 75º GP da Equipe de F-1 e Construtora Osella Squadra Corse

Advertisements

Ein Gedanke zu “Há 25 anos: Tambay homenageia Gilles

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s