Há 35 anos: Peterson voa, mas Emerson vence

Houve uma pausa de 7 semanas entre o GP da África do Sul e o GP da Espanha, a quarta etapa do Campeonato Mundial de Formula 1 de 1973, que foi realizado no Parque de Montjuich. Novas regras exigindo estruturas deformáveis tinham sido introduzidas e nem todas as equipes conseguiram cumprir a tempo essas mudanças.


Após vencer o GP da África do Sul e a nevada corrida extra-campeonato International Trophy em Silverstone, Jackie Stewart chegou na Espanha com expectativa à altura. A Ferrari só trouxe o carro de Jacky Ickx, Andrea de Adamich mudou seu patrocínio da Cerâmica Pagnossin da Surtees para a Brabham, enquanto Graham Hill fez sua primeira aparição em um Shadow, patrocinado pela marca tabagista Embassy.

Henri Pescarolo substituía na March o conterrâneo Jean-Pierre Jarier, que tinha que cuorir contrato no Europeu de Formula 2 no Nürburgring. Nanni Galli iria correr mais uma vez pela Williams, o time tinha o novo chassi IR1 pronto, uma replica do Politoys de 1972, mas renomeado conforme os novos patrocinadores Iso-Rivolta.

Na qualificação Ronnie Peterson com a Lotus foi o pole e Denny Hulme com a McLaren M23 fechou a primeira fila. Na segunda fila estavam as Tyrrells de François Cevert e Jackie Stewart. Peter Revson, estreando uma segunda M23, e Ickx na Ferrari compunham a terceira fila. Emerson Fittipaldi estava na quarta fila com a sua Lotus ao lado de Clay Regazzoni da BRM. O top 10 foi completado por Mike Hailwood da Surtees e Jean-Pierre Beltoise da BRM.

Na largada Hulme e Stewart partiram pra cima de Peterson. Niki Lauda fez uma excelente largada, partindo de 11º no grid enquanto Hailwood em sexto teve que largar dos pits, meia volta depois dos demais, devido a mudança do motor no warm-up da manhã. Na terceira volta Stewart ultrapassou Hulme, assumindo a segunda posição, enquanto Fittipaldi ficou em quinto, na frente de Lauda e Beltoise. As colocações se estabilizaram até a 20ª volta quando Hulme teve que trocar uma roda que estava fora de equilíbrio.

Algumas voltas mais tarde Emerson Fittipaldi ultrapassou Cevert, o quarto colocado, e quando Stewart se retirou na volta 47 por problemas nos freios, as duas Lotus estavam tranqüilos na ponta. Porém, isso não duraria muito. Na volta 57 Peterson, com problemas da caixa de câmbio, deixou Emerson na liderança. Reutemann estava em segundo, mas a sua Braham abandonou poucas voltas depois, deixando Cevert em segundo. Follmer, no seu segundo GP de Formula 1, terminou em terceiro com a Shadow.

Grande Premio da Espanha de Formula 1 de 1973, Montjuich Park, Barcelona, Espanha.

Pole Position: Ronnie Peterson, Lotus 72E-Cosworth, 1m 21.800s = 166.841 km/h (103.692 mph) de média.

Resultado final: Vencedor – Emerson Fittipaldi, Lotus 72E-Cosworth, 75 voltas x 3.791 km (2.356 milhas) = 284.325 km (103.692 milhas) distancia total de prova em 1h 48m 18.700s.

2) François Cevert, Tyrrell-Cosworth 006-Cosworth + 42.700s

3) George Follmer, Shadow DN1-Cosworth + 1m 13.700s

4) Peter Revson, McLaren M23-Cosworth + 1 volta

5) Jean-Pierre Beltoise, BRM P160E + 1 volta

6) Denny Hulme, McLaren M23-Cosworth + 1 volta

Melhor volta:

Ronnie Peterson, Lotus 72E-Cosworth, 1m 23.800s na volta 13 = 162.859 km/h (101.217 mph) de média.

Marco entre os pilotos:

– Ronnie Peterson marca pela primeira vez a melhor volta em GP de F1.

Marcos entre equipes, construtores e fornecedores:

– 50ª vitória da Lotus em GP de F1 Grand Prix como marca/construtor;

– 50ª melhor volta da Ford em GP de F1 como fornecedor de motores.

Advertisements

2 Gedanken zu “Há 35 anos: Peterson voa, mas Emerson vence

  1. Emerson teve que lidar com um furo no pneu traseiro esquerdo que o esvaziava progressivamente; não sei a quantas voltas do final isso aconteceu, mas sei que não foram muito poucas.

  2. Acho que foi a estréia da Ferrari 312 B3, não? Essa da foto com Ickx.
    O primeiro chassi monocoque da marca na F1, foi construído por uma firma na Inglaterra segundo desenhos produzidos em Maranello.
    O carro passou um ano sofrível, para evoluir no que Lauda levou à vitória (primeira do piloto e do modelo) em Jarama – post anterior.

    Mario, o fato de Hailwood ter de largar dos pits, terá sido obrigatoriedade do regulamento ou falta de tempo mesmo?

    abs
    Fernando

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s