Domingo,

27th of April – Hoje em dia Dr. Helmut Marko é mais conhecido como caça-talentos de Dietrich Mateschitz, o dono da Red Bull. Mas em 1972 o Marko, que na foto acima se encontra no meio de uma briga por posição com o José Carlos Pace no GP da Bélgica, era a grande esperança austríaca enquanto mal se ouvia falar do tal de Niki Lauda. Infelizmente a sua carreira chegou a um fim prematuro na próxima corrida, o GP da França, quando uma pedra acertou a viseira do seu capacete causando um ferimento irreparável ao seu olho esquerdo.

*

27/4/1933, Robert Bondurant nasce em Evanston, EUA.

Como campeão do Mundial de Construtores pelos Estados Unidos, pilotando um Shelby Cobra, Bob Bondurant teve uma oferta para competir pela Scuderia Ferrari no Grand Prix em Watkins Glen no ano de 1965. Em 1966 foi consultor técnico para o diretor John Frankenheimer na rodagem do filme „Grand Prix“; também pilotou um Eagle no GP do México. Em 1967 foi competir na série CanAm pela equipe Dana Chevrolet. No entanto Bob sofreu um terrível acidente em Watkins Glen, New York, quando um dos braços da direção de seu Mclaren quebrou à velocidade de 150 milhas por hora, o carro capotando oito vezes. Teve ambas as pernas esmigalhadas e ainda sofreu sérios ferimentos internos. Enquanto no hospital, resignado com o fato que provavelmente nunca voltaria a correr, Bob teve a idéia de gerir sua própria escola de pilotagem.

Pois em 14 de fevereiro de 1968, as portas se abriram no Orange County International Raceway, perto de Los Angeles, com 3 alunos. Na semana seguinte dois mais se juntaram, estes especiais, pois eram Paul Newman e Robert Wagner, treinando para a realização do filme „Winning“. Bondurant foi conselheiro técnico e pilotou o carro-câmera, além de instruir atores do filme. Dois anos depois a escola mudou-se para o Ontario Motor Speedway, não longe do primeiro sítio, e em 1973 para o Sears Point International Raceway perto de Sonoma, Califórnia. Em 1983, A Ford Motor Company ofereceu apoio e carros à escola. Sete anos depois, em 2 de março de 1990, seu sonho de construir um local especialmente destinado à prática da pliotagem virou realidade. A escola mantém mais de 200 carros preparados para corridas, tanto sedans quanto fórmulas. A escola é a maior do seu tipo na América do Norte. Hoje em dia Bob continua a ensinar, diariamente, e participa de algumas corridas especiais de carros antigos pelo país.

*

27/4/1987, morre Gioacchino Colombo.

Foi projetista de motores de automóveis. Começou como aprendiz do grande Vittorio Jano na Alfa Romeo. Em 1937, Colombo projetou o motor 158 para a Alfetta e com isso chamou a atenção de Enzo Ferrari. Depois da Segunda Guerra Mundial, Ferrari pediu a Colombo para projetar um pequeno V12 para usar tanto nos carros de corrida quanto nos de rua de sua marca. O grande trabalho de Colombo para Ferrari foi um minúsculo V12 de 1,5 litros, primeiro utilizado no modelo esporte 166. Esse motor, conhecido no ambiente da Ferrari como o „motor Colombo“, foi produzido para carros de rua, incluindo a famosa 250, por mais de 15 anos, em deslocamentos de até 3,3 litros. Infelizmente o motor nunca foi tão bem sucedido em corridas. Após surpreender desde o início na 166, o motor foi superalimentado para ser usado na Fórmula 1 mas não rendeu bem. Ferrari então tratou de garantir suas apostas, como frequentemente fazia, trazendo outro projetista, Aurelio Lampredi, para criar um bem maior e naturalmente aspirado V12, que substituiria o de Colombo. Mais tarde, o mentor de Colombo, Vittorio Jano, veio à Ferrari e deslocou ambos de seus postos. Colombo deixou a Ferrari em 1950 e retornou à Alfa Romeo. Lá, supervisionou os esforços da marca em competições, incluindo o sucesso daquele ano com Nino Farina e, em 1951, Juan Manuel Fangio. Em 1953, Colombo foi para Maserati e criou a 250F, um formidável carro de Grands Prix. Dois anos depois, encaminhou-se para a recém reiniciada Bugatti para trabalhar no modelo 251.

nasceu: 9 de janeiro de 1903.
faleceu: 27 de abril 1987, aos 84 anos.

*

27/4/1943, Dr. Helmut Marko nasce em Graz, Áustria.

Vencedor das 24 Horas de Le Mans em 1971, dividindo a pilotagem de um Porsche 917 com o holandês Gijs van Lennep, Helmut Marko teve a chance de pilotar um velho Mclaren da equipe particular de Jo Bonnier no GP da Alemanha no mesmo ano. Essa aventura acabou quando o carro ficou sem combustível ainda na primeira volta saindo dos pits, e Marko brigou com a equipe. Como resultado, nem se classificou para o grid.
Mas estava de volta num F1 duas semanas mais tarde na Áustria, num quarto carro da BRM, e notavelmente aquele evento marcou uma vitória para a equipe de Bourne pelas mãos de Jo Siffert. Marko voltou à ação no Canadà e no ano seguinte continuaria com a BRM.

No GP da França em Clermont-Ferrand parecia ter feito um importante avanço, colocando seu carro na terceira fila do grid, à frente de estrelas já estabelecidas como François Cevert (Tyrrell) e Emerson Fittipaldi (Lotus). Na nona volta, com Marko correndo em quinto lugar, uma pequena pedra, atirada pelo carro à frente, perfurou o visor de seu capacete e acertou um olho. Marko teve habilidade para evitar um grande acidente e parou o carro ao lado da pista, mas uma carreira que tanto prometia foi encerrada no incidente: ele perdeu a visão no olho atingido e nunca mais pilotou um F1 novamente.

Enquanto seu compatriota Niki Lauda tornava-se a nova estrela austríaca na F1, Marko foi se dedicar a achar novos talentos e a promover a carreira de jovens pilotos de seu país, embora só com a ascensão de Gerhard Berger é que seu nome realmente se estabeleceu como descobridor de talentos. Sua equipe, RSM Marko, virou uma das principais na Fórmula 3 alemã e, mais tarde, na Fórmula 3000 com Jorg Muller e Juan-Pablo Montoya. Prosseguiu dirigindo o Red Bull Junior Team na F3000 mas o acabou vendendo e se tornou um consultor à empreitada do chefe da Red Bull, Dietrich Mateschitz, na Fórmula 1.

*

27/4/1902, Rudolf Schoeller nasce em Düren, Alemanha.

Rudolf Schoeller participou de uma única corrida do Mundial de Fórmula Um pilotando uma Ferrari 212 particular no GP da Alemanha de 1952 para a equipe de Rudi Fischer, a Ecurie Espadon. Abandonou a prova com problemas no amortecedor e não marcou pontos.

nasceu: 27 de abril de 1902 em Duren, Alemanha.
faleceu: 7 de março de 1978 em Grabs, Alemanha, aos 75 anos.

Advertisements

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s