5ª-feira,

24 de abril – Hoje é o 25º aniversario da morte de Rolf Stommelen e o alemão infelizmente é lembrado principalmente como piloto daquele projeto falho que era o Eifelland Formula 1. A versão D1 mostrada acima, a primeira a ser testada na pré-temporada, era a obra do exuberante designer industrial alemão Luigi Colani. Aos poucos a vasta maiorias deste apetrechos, inicialmente montados em um March 711, foram eliminados para as versões que seguiram, só o cockpit diferenciado com entrada de ar na frente e a posição central do retrovisor iria sobrar na próxima versão, então montada em cima de um March 721. Todo o resto da parafernália provou ser pomposa demais e causar super-aquecimento. Apesar de temperaturas em torno de 5º Celsius…

*

24/4/1954, morre Guy Mairesse.

Dono de uma companhia transportadora, Mairesse competiu com carros Talbot-Lago, na Formula 1 e provas de carro esporte, logo após o final da Segunda Guerra Mundial, conquistando segundos lugares em Le Mans em 1950 e 1951, em dupla com Pierre Meyrat. Ele foi ferido mortalmente quando seu carro se chocou contra uma barreira de concreto na Coupe de Paris de 1954, num acidente que também matou uma criança entre os espectadores.

Nasceu: 10 de agosto de 1910 em La Capelle, L’Aisne, France;
Faleceu: 24 de abril de 1954 no circuito de Monthléry perto de Paris na França aos 44 anos de idade.

*

24/4/1941, Silvio Moser nasce em Zurique na Suiça;

Depois de bem sucedido nas fórmulas menores, o debut de Moser na Fórmula 1 aconteceu no Grand Prix Britânico de 1967 ao volante de um nada competitivo Cooper-ATS. No ano seguinte comprou uma Brabham que tinha sido da equipe de fábrica, conseguindo um quinto lugar no GP da Holanda e um sexto no GP dos EUA em 1969. Em 1970 deu um passo audacioso ao encomendar seu próprio F1 junto a Guglielmo Bellasi, mas o carro só ficou pronto para o GP holandês, em que Silvio não conseguiu se classificar para o grid. O mesmo aconteceu nos GPs da França e Alemanha. Apesar de finalmente ter entrado para o grid no GP da Áustria, estava claro que o carro necessitava muitos melhoramentos. O Bellasi retornou mais tarde para o GP da Itália e no extra-oficial Gran Premio de Argentina, no final desse ano. Num forte acidente com uma Lola T292 esporte nos 1000km de Monza em 1974, Moser sofreu sérios ferimentos internos e na cabeça que o colocaram em estado de coma. Infelizmente ele nunca recobrou a consciência e morreu um mês depois.

Nasceu: 24 de abril de 1941 em Zurique na Suiça;
Faleceu: 26 de maio 1974 em Milão na Itália aos 33 anos.

*

24/4/2001, morre Josef Peters.

Peters costumava competir pilotando carros Veritas , carros esses com carenagem tipo esporte, de rodas cobertas, em corridas de Fórmula 2 e categoria Esporte. Como as regras permitiam que participasse com o Veritas no Grand Prix da Alemanha de 1952, no Nürburgring, não teve dúvida, foi lá tomar parte. Mas sua única participação numa etapa do Campeonato Mundial não durou muito já que teve de abandonar a prova com problemas mecânicos.

Nasceu: em 16 de setembro de 1914 em Dusseldorf, Alemanha;
Faleceu: em 24 de abril de 2001 em Dusseldorf, com 86 anos de idade.

*

24/4/1983, morre Rolf-Johann Stommelen.

Depois da estréia em um GP com uma Lotus 59B (carro de F2) da Roy Winkelmann Racing, no Nürburgring em 1969, Rolf Stommelen tornou-se o primeiro piloto alemão a participar regularmente do Mundial de Fórmula 1 desde Wolfgang von Trips quando entrou para a equipe de fábrica da Brabham em 1970 e assinalando um impressionante terceiro lugar no GP da Áustria em Zeltweg. Mudando para a equipe de Rob Walker com carros Surtees em 1971, o alemão marcou apenas três pontos na temporada. Em 1972 juntou-se à nova equipe de Gunther Hennerici, que sempre deu suporte à sua carreira. Pilotando um March 721 com carroceria avançada desenhada por Luigi Colani, Stommelen participou de oito GPs mas sem resultados expressivos. Em 1973 estava de volta à Brabham, e em 1974, sem nenhum assento na F1, substituiu o machucado Guy Edwards na Lola da equipe Embassy Hill a partir do GP austríaco.

Graham Hill manteve o alemão a bordo para 1975 e, quando a equipe estreou o novo Hill GH1 no GP espanhol na pista de rua de Montjuich, Stommelen liderava quando a asa traseira se desprendeu. O carro atingiu os guardrails à esquerda e à direita e então saltou a barreira. Cinco pessoas foram mortas e Stommelen ficou sériamente ferido. Apesar disso ele reteve seu assento antes do ano terminar para um par de corridas. Para 1976 ele só conseguiu duas corridas com a Brabham e uma com a Hesketh. Depois de vencer o campeonato alemão do Grupo 5 DRM em 1977, Rolf juntou-se à nova equipe Arrows em 1978 para a que seria sua última temporada na F1. Mas gradualmente ele estava pondo mais empenho em corridas do Grupo 5 e carros esporte, vencendo as 24 Horas de Daytona por 3 vezes: 1978, 1980 e 1982, e as 12 Horas de Sebring em 1982, entre outras. Morreu competindo numa corrida do campeonato IMSA em Sears Point na Califórnia.

Nasceu: 11 de julho de 1943 em Siegen na Alemanha.
Faleceu: 24 de abril de 1983 no circuito de Riverside na Califórnia, EUA, aos 40 anos.

*

24/4/1934, Michael John Clifford Taylor nasce em Westminster, UK.

O piloto amador Mike Taylor teve uma carreira meteórica, de vitórias em corridas de clubes a parceiro de Innes Ireland na equipe Lotus em Le Mans e no mesmo ano estreando na Fórmula 1 no GP Britânico pilotando um Cooper T45. Para 1960 comprou um Lotus 18 com o qual correu em sua equipe particular na prova extra-oficial International Trophy, e em seguida inscreveu-se no GP da Bélgica. Num fim de semana marcado por sérios acidentes de pilotos com Lotus, Taylor,ainda numa sessão de treinos, sentiu a coluna de direção partir-se de repente, sofrendo múltiplos ferimentos nesse acidente. Mais tarde processou o chefe da Lotus, Colin Chapman, conseguindo um ótimo acordo financeiro e investiu o dinheiro numa imobiliária que quebrou em 1977.

Advertisements

4 Gedanken zu “5ª-feira,

  1. Quem sabe um Bob Dylan cover… Minha maior lembrança do Stommelen não é a daquela geringonça chamada Eifelland, mas do malfadado GP da Espanha de 1975, em Montjuich.
    Sugestão para o Mario: por quê não um post sobre o brasileiro José Carlos Pace, já que tantos pilotos de expressão (e inúmeros outros estrangeiros de pouquíssima ou nenhuma expressão) têm sido lembrados aqui no Blog?

  2. Mario, e aquela novela alonso-ferrari, vc ainda acha que dà pé? pro ano que vem, 2010? Compartilhe conosco o que suas fontes te dizem =)

  3. Oi Mario,

    sem dúvida exuberante é um bom termo para o Luigi Colani.

    não há um só projeto dele que não seja „orgânico“ e cheio de curvas, afinal sua máxima diz que tudo na natureza tudo é curvo e fluído, sem ângulos retos, embora ele tenha certa razão, acho que ele deva ter se esquecido dos cristais, geodos e afins hehehe

    o cara faz cada coisa de louco, já projetou de tudo !
    muitos impraticáveis (vide o Eifelland) mas mesmo assim não deixam de ser interessantíssimas as suas propostas.

    uma boa pedida para que quiser ver mais projetos dele é só ir no

    http://www.colani.de/werk.php?lang=en

    ou no

    http://www.colani.ch/index.html

    abs

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s