4ª-feira,

23 de abril – O acidente de Gerhard Berger na curva Tamburello no GP de San Marino só parecia nos acalmar, mesmo com a violência do impacto e a intensidade das chamas, que em nossa época pilotos não morrem mais em acidentes de alta velocidade. Cinco anos depois o destino iria nos tirar esta certeza de forma cruel após o acidente fatal de Ayrton Senna no exato local onde Berger teve tanta sorte de sair quase ileso. Queimaduras nas mãos foi tudo que o austríaco sofreu.

*

23/4/1963, Paul Belmondo nasce em Boulogne-Billancourt, França.

Vencedor de um concurso para jovem pilotos da Elf, este filho do famoso ator francês passou da Fórmula 3 para a Fórmula 3000 em 1987 e depois de 1991 chegou à Fórmula 1 pela equipe March para a primeira parte da temporada de 1992, terminando em nono o GP da Hungria. Dois anos depois ele se tornou membro da mal-nascida e nada competitiva Pacific Gran Prix, conseguindo a classificação para apenas duas corridas. Depois ele passou a se decidar nas corridas de Gran Turismo, pilotando um Chrysler Viper. Foi então que decidiu abrir sua própria equipe para as competições de carros GT.

*

23/4/1961, Pierluigi Martini nasce em Ravenna, Itália

O campeão europeu de Fórmula 3 de 1983 conseguiu sua primeira chance na Fórmula 1 com a Toleman em 1984 no GP da Itália, mas não conseguiu se classificar. Em 1985 ele fez sua primeira temporada completa pela Minardi, de motores Motori Moderni V6. Não foi bem e Pierluigi teve de voltar à Fórmula 3000 até se convidado de volta por Giancarlo Minardi em 1988. Terminou em sexto o GP de Detroit e marcou o primeiro ponto da história da equipe na F1. Seu melhor resultado foi o quarto lugar obtido em 1991 no GP de San Marino, assim como o GP de Portugal do mesmo ano, pilotando então um BMS-Dallara. De 93 para frente ele correu pela Minardi novamente obtendo quintos lugares nos GPs da Espanha e França de 1994, mas no final de 95 sua carreira na F1 empacou. O maior sucesso de Pierluigi continua sendo a vitória nas 24 Horas de Le Mans de 1999 pilotando um BMW V12 LMR.

Advertisements

7 Gedanken zu “4ª-feira,

  1. Mário,

    Ontem foi o aniversário do Greg Moore. Por que você não o colocou no blog? Ele definitivamente merecia devido ao seu extraordinário talento. Ele morreu em 1999 com apenas 24 anos e com contrato assinado para pilotar na Penske no ano seguinte e devido a sua morte, Hélio Castroneves entrou no lugar dele. Este vídeo emocionante no link abaixo mostra algumas demostrações do incrível talento do Greg:

  2. Como você sabe o blog é sobre a Formula1 ou até a época dos Grand Prix pré-F1. E o conteúdo não é pouco.

    Aliás, esta versão é mantida com TRES tradutores. Pergunta pra eles se é pouca coisa…

    Enfim, tenho que impor limites e que nunca sentou em carro de F1 infelizmente esta fora destes limites.

  3. Como você sabe, o blog é sobre a Formula 1 e até a época dos Grand Prix pré-F1. E o conteúdo não é pouco.

    Aliás, esta versão é mantida com TRES tradutores. Pergunta pra eles se é pouca coisa…

    Enfim, tenho que impor limites. E quem nunca sentou em carro de F1 infelizmente esta fora destes limites.

    Mas vocês estão todos convidados a fazerem as suas homenagens individuais neste espaço, como o fez o Marlon com a sua homenagem ao Greg Moore. Aliás, conheci o Greg em 1996 no Estoril. Gente fina. A notícia de sua morte foi um choque na época.

  4. Mário,

    Você entendeu errado. Eu nunca disse que é pouca coisa para traduzir e também nunca disse que o conteúdo é pouco. Eu vi no site algumas poucas coisas que não envolviam a Fórmula 1, então eu dei a sugestão de fazer um texto sobre o INCRÍVEL Greg Moore.

    Se Greg fosse campeão da Fórmula Mundial, da Fórmula 1, tivesse o mesmo número de fãs do Ayrton Senna, etc, SERIA grande a chance de ele ser bem mais lembrado na imprensa. Existe condição de conhecer aqueles limites mesmo sem nunca ter sentado em um carro de Fórmula 1. E um desses é o limite de erros de conduta em relação a parte da imprensa de querer dar mais valor aos FEITOS de pilotos em relação ao TALENTO de pilotos, o que é revoltante (não estou me referindo a você e aos tradutores).

    Você gostou do vídeo sobre o Greg, Mario? Eu me emocionei muito com o vídeo. Estou muito curioso sobre aquela história dele em Estoril. Ele fez um teste lá? Você poderia, por favor, um dia fazer um texto no blog sobre essa história no Estoril?

  5. Mário,

    Você entendeu outra situação de maneira errada. Eu disse que o Greg Moore merecia uma homenagem no blog, eu não disse que ele deveria porque eu não sei a quantidade de textos disponíveis para cada post.

    Desculpa, pensei que você se referiu sobre aquela história de limites para outra circunstância.

  6. Mário,
    Ainda é possível ser tradutor do teu blog?
    Sei que há um tempo atrás você estava atrás do pessoal, gostaria muito de, se possível, fazer história nesse que é um dos melhores blogs de F-1 escrito em português.
    Abraços

  7. Não rende um post, Marlon. O Greg Moore acompanhou o amigão Jacques Villeneuve ao GP do Portugal de 1996 e domingo a noite a gente se encontrou por acaso numa boate, tomamos uns chopinhos e jogamos conversa fora. Só isso.

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s