Domingo,

Lotus 96T-Cosworth DFX, 1984

17 de fevereiro – Reconhece o carro acima? Só vou dar a seguinte dica: Foi fabricado por uma equipe de grande nome no automobilismo e para um evento, onde já obteve sucesso década atrás. E de certa forma tem relação à data de hoje. Caiu a ficha?


Mike Coughlan, 2006 17/2/1959, nasce Mike Coughlan na Inglaterra.

Um dos personagens freqüentes no paddock da Formula 1 durante anos‘, Mike Coughlan ganha fama de forma não planejada ao surgir como principal envolvido no escândalo de espionagem, o popular “Stepneygate”. Em conseqüência a equipe McLaren de Formula 1, pela qual trabalhava como desenhista chefe, acabou sendo banida do Mundial de Construtores de 2007. A sua carreira no automobilismo começou na empresa dos ex-pilotos de F1 Tim Schenken e Howden Ganley, onde desenvolvia todo tipo de carro de corrida para as categorias de acesso sob a marca TIGA. A chance na Formula 1 surgiu em 1984, quando Coughlan foi contratado pela Lotus e em 1988 acabou sendo promovido para desenhista chefe da equipe. John Barnard o chamou em seguida para exercer este cargo no Benetton Advanced Research Group para desenvolver a Benetton B191, predecessor da linhagem de excelentes chassis dos anos 1992 a 1994, época de maior sucesso da Benetton. Após uma passagem pela Tyrrell foi trabalhar novamente com John Barnard, desta vez ganhou o cargo de chefe de R&D, departamento responsável pela pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias da Scuderia Ferrari. Coughlan permaneceu fiel à Barnard quando este se separou da Ferrari e o escritório de engenharia se tornou na empresa B3 Technologies, prestando consultoria para equipes como a Arrows em 1997. No ano seguinte Coughlan mudou-se para a Arrows, incentivado pelo alto cargo de diretor técnico, e permaneceu lá até 2002, quando surgiu a proposta da McLaren para chefe do departamento de design. Após o escândalo e as duras conseqüências, ele acabou sendo demitido e pode ser acusado criminalmente pelo seu papel no “Stepneygate”.

*

Frank Kurtis, 1963 25/1/1908, nasce Frank Kurtis em Crested Butte, Colorado, USA.

Frank começou a construir carros de corrida no fundo do quintal e a primeira participação de um Kurtis-Kraft Special na Indy 500 em 1948 quase rendeu a vitória. O 2º lugar em Indy foi superado com a conquista do campeonato. Um sonho tornou-se realidade quando Johnny Parsons vence ao volante de um Kurtis Wynn’s Oil Special na Indy 500 de 1949. No ano seguinte a dupla Parsons e Kurtis repete a proeza, a vitória coincide com a inclusão da Indy 500 no Mundial de Formula 1 e assim os dois foram parar nas estatísticas do mundo da F1. Até 1963 a Kurtis-Kraft fabricou 550 carros da categoria norte-americana midget, 600 destes carros em forma de kit para serem montados individualmente e 120 carros em especificação para disputar a Indy 500, a qual a marca venceu cinco vezes no total. Frank aposentou-se em 1968, deixando no comando da empresa o filho Arlen e faleceu em 1987.

Nasceu: 25 de janeiro de 1908 in Crested Butte, Colorado, USA.
Faleceu: 17 de fevereiro de 1987 em Los Angeles, EUA, aos 79 anos.

Advertisements

9 Gedanken zu “Domingo,

  1. Este é o Lotus 96, uma tentativa da equipa para se integrar na Formula Indy, provavelmente Indianápolis. Não sei se o projecto abortou ou se sempre se integraram, mas o que sei é que isto não deu resultados. Agora, não sabia que tinha sido desenhado pelo Mike Coughan…

  2. Está certo Speeder, é este mesmo. E o Coughlan foi contratado na época como desenhista do carro. Nunca andou, sequer roncou o motor Cosworth V8.

    E André, só visito site de jornalista bem informado. Crítica à minha pessoa, se for o caso, também não mudará isto. Vindo de mal-informado não me afetaria…

  3. Caro Mário,

    ao contrário de alguns você não copia artigos de terceiros para montar as suas colunas, pois ao contrário de uma penca de enganadores, realmente vive nesse meio e de pára-quedista não tem nada. O pior de tudo é que esses caras devem copiam o discurso teatral deles dos mesmos sites ingleses pois até a opinião parece uma xerox uma da outra…

    OBS: você participou da cobertura do Band Sports da prova da Nascar? Tem como comentar a corrida aqui no Blog?

    Abraços e felicitações

  4. Não Wallace, não participei e também não assisti a corrida. As minha prioridades no momento são outras, mas a NASCAR deverá exercer um papel importante nos meus trabalhos em 2008. Memsoque não tenha a ver com a Band. Ainda estou refletindo se (e como) vou misturar as coisas por aqui.

    Abraços e obrigado pelo apoio

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s