23 de dezembro

Prince Bira, Maserati 250F, Reims-Gueux 1954

23 de dezembro – Durante decadas carros de corrida participando em eventos internacionais precisavam mostrar o país do participante. Em 1935 o Sião, que em 1949 passaria a se chamar de Tailândia, teria as suas cores nacionais no automobilismo definidas pelo Príncipe Bira do Sião. Aliás, inicialmente era somente uma cor, um azukl claro que agradou ao príncipe no vestido de uma donzela que conheçou. Somente em 1939 uma faixa horizontal amarela foi adicionada, assim como as rodas foram pintadas de amarelo.

Michele Alboreto, 2001 23/12/1956, nasce Michele Alboreto em Milão na Itália.

Campeão Europeu e Italiano de Fórmula 3, Michele Alboreto destacou-se na equipe oficial Lancia no Mundial de Marcas. Em 1981 conquista a única vitória da história da Minardi na F2 e estréia na F1 pela Tyrrell no GP de San Marino. Em 1982 conquista a primeira vitória naF1 no GP dos EUA em Las Vegas. Após a segunda vitória na F1 em Detroit, Enzo Ferrari contrata Alboreto para a temporada de 1984. A primeira vitória com a Ferrari acontece no GP da Bélgica e a temporada seguinte o italiano perde o titulo para Prost por falhas mecânicas. Com a Ferrari em decadência nas próximas três temporadas ainda passou novamente pela Tyrrell e Larrousse-Lamborghini em 1989 para se juntar à Footwork em 1990. Depois de três temporadas de poucos resultados, o piloto acerta com a BMS Scuderia Itália e depois tenta a Minardi em 1994, ano conturbado por graves acidentes. Marcou seu último ponto no GP de Mônaco e, aos 38 anos, se despediu da F1.

A sua carreira pós-F1 cita a DTM alemã com a equipe oficial da Alfa Romeo em 1995, a vitória na tradicional prova de 24 horas de Le Mans em 1997, a ALMS pela TWR-Porsche em 1998 e a partir da temporada seguinte virou figura importante no desenvolvimento da Audi R8. O ultimo triunfo do piloto acontece nas 12 Horas de Sebring de 2001 com o italiano Rinaldo Capello e o francês Laurent Aiello. Favorito para a vitória em Le Mans, sofre um acidente fatal quando a sua Audi R8 roda em uma retão no oval de Lausitzring na Alemanha após o estouro de um pneu, levanta do chão, capota e aterrissa cabeça para baixo no canteiro da pista.

Nasceu: 23 de Dezembro de 1956 em Milão na Itália.
Faleceu: 25 de abril de 2001 no Laustizring, Alemanha.

*

Prince Bira

Prince Bira era o filho de Bhanurangsi Savangwongse, na época o príncipe regente do Sião. Ele teve o primeiro gostinho de competição automobilística em 1935, quando freqüentava as universidades de Eton e Cambridge na Inglaterra. Lá seu primo, o Príncipe Chula Chakrabongse, manteve a equipe “White Mouse Stable” e como Bria se saiu bem nas primeiras tentativas, Chula lhe comprou uma voiturette ERA de presente. Cinco dias depois já alinhou o carro no grid do 7º GP de Dieppe na França e conquistou um excelente 2º lugar. Ainda mais espantoso pelo fato de Bira ter forçado a parar nos boxes durante a corrida. Outro 2º lugar seguiu, mais o 5º lugar no GP de Donington e a carreira do príncipe só começava. No ano seguinte conquistou mais cinco vitórias, inclusive a disputada Copa do Príncipe Rainier em Monte Carlo, uma corrida preliminar do GP de Mônaco GP. Com uma Maserati 8CM ainda acrescentou um 5º lugar nos GPs de Donington e um 3º no de Brooklands.

Para 1937 o duo comprou de Dick Seaman dois Delages, que passariam por uma reforma e melhoria extensa, mais todo o inventário da equipe do inglês. Apesar de vencer três corridas nacionais na Inglaterra, a temporada internacional virou um desastre, tanto esportivo como financeiro. Sem comprador a vista para se livrar dos Delages, Bira teve que se limitar a correr na Inglaterra e venceu duas provas em 1938. O mesmo se repetiu em 1939, só que venceu quatro eventos nacionais e acabou destruindo o ERA em Reims-Gueux, a sua única participaçã à nível internacional. Depois da 2ª Guerra Mundial, Bira voltou às pistas com uma Maserati 4CL e um como piloto oficial da Simca-Gordini vencendo várias provas importantes. Qunado surgiu a Formula 1, Bira desanimou e passou mais e mais tempo na sua terra natal, pós-guerra agora chamda de Tailândia.

Mas com a chance de obter uma das Maserati 250F de fábrica, Bira voltou às pistas em 1954 e como animo total, marcando pontos pela primeira vez em quatro anos. O GP da França daquele ano em Reims-Gueux trazia grandes expectativas, pois a Mercedes-Benz voltou às pistas com a sua equipe oficial e três belas W196 com carroceria aerodinâmica. Bira tinha tudo para conquistar um pódio naquele dia, só as Mercedes de Fangio e Kling estavam na sua frente, mas acabou sem combusítvel. Ainda classificado em 4º lugar, o tailandês foi o piloto Maserati mais bem colocado, os pontos que marcou naquele dia seriam os últimos da sua carreira à nível de Mundial. Em 1955 ainda venceu o GP da Nova-Zelandia, uma prova extra-campeonato e logo após vendeu a Maserati e retornou à Tailândia para empresáriar uma empresa aérea. O príncipe, já idoso, faleceu na Inglaterra de um ataque cardíaco fulminante em 1985.

Nasceu: 15 de julho de 1914 em Bangkok, Sião.
Faleceu: 23 de dezembro de 1985 em Londres, Inglaterra.

*

Bertrand Gachot, 1995 23/12/1962, nasce Bertrand Jean Gachot em Luxemburgo.

Ingressou na Fórmula 1 em 1989, estreando no Grande Prêmio da França, com um Onyx. Venceu a prestigiada prova de 24 Horas de Le Mans em 1991, mas na F1 não obteve grande destaque, tendo como marca mais significativa um 5º lugar no GP do Canadá e a melhor volta do GP da Hungria de 1991, quebrando até o recorde da pista com a sua Jordan-Ford. Após esta façanha, o luxemburguês naturalizado belga envolveu-se em uma briga com um taxista em Londres e usou um spray de pimenta contra o agressor. Sendo considerada arma ilegal naquele país, ficou preso por alguns meses e perdeu a vaga na Jordan para um jovem piloto alemão, chamado Michael Schumacher, para o que seria o GP de casa de Gachot. Gachot ainda voltaria às pistas no mesmo ano pela equipe Lola, e encerraria sua carreira na categoria em 1995, quando a sua sociedade na equipe Pacific o obrigava a ceder o cockpit na maioria do tempo para pilotos endinheirados. A sua despedida da F1 coincide com o colapso da Pacific após o GP do Japão.

*

Geoff Willis, 2007 23/12/1959, nasce Geoff Willis em Southampton na Inglaterra.

Willis formou-se em engenharia mecânica na famosa universidade de Cambridge na Inglaterra e fez o doutorado em engenharia hidrodinâmica na universidade de Exeter. A sua estréia na F1 aconteceu em 1990 quando foi contratado pela equipe Leyton House Racing e se tornou o primeiro engenheiro a aplicar a ciência de cfd (computational fluid dynamics) na categoria. A Williams o contratou, dando lhe melhores recursos para continuar com as suas pesquisas e aplicar na aerodinâmica ao lado de Adrian Newey e Egbahl Hamidy. Quando Newey e poucos meses depois Hamidy deixaram a Williams, ele se se tornou chefe do departamento de aerodinâmica em 1997. Junto com Gavin Fischer desenvolveu todos os modelos da equipe até a versão de 2001.

A British American Racing o contratou em 2001 para comandar o departamento técnico e em 2005, quando a equipe foi comprada pela Honda, viu a sua função comprometida pela estrutura de comando confusa dos novos donos. Ele deixou a equipe no mesmo ano e desde julho de 2007 trabalha como diretor técnico para a Red Bull Racing, mais uma vez sob a direção de Adrian Newey.

Advertisements

Ein Gedanke zu “23 de dezembro

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s