Não compre o novo Ford Ka !

Eu vender Ford? Tô fora! Estranhou o título? Ora, mas é evidente que não tenho como recomendar este carro fantasma. Afinal somos nós jornalistas que exercemos a função de erguer as pontes entre indústria e consumidor, informando sobre as vantagens e qualidades positivas de um novo produto. Mas como posso avaliar e eventualmente recomendar um produto ao qual não tenho acesso?

Já coloquei aqui antes meu ponto de vista sobre os departamentos de imprensa da vasta maioria das montadoras no Brasil. A Ford é uma destas que divulgam frequentemente estar na busca de mais eficiência, mais rentabilidade. Com um aparato dormente como o setor de comunicação da Ford do Brasil, cada uma destas frases ganha uma conotação cômica. Às vezes me parece que estou vivendo em uma dimensão paralela, onde aqueles que precisam vender um produto aparentam poder se dar o luxo de esnobar a classe que mais ajuda a fortalecer uma opinião positiva e sólida sobre o tal produto.

Novo Ford Ka 2009! Lindo, não?

Não sei dizer se é culpa da própria imprensa automobilística nacional de permitir a ser tratada de tal forma. A Ford não conseguiu em dois anos fornecer a este jornalista o basicão: A possibilidade de averiguar a qualidade de qual seja dos seus produtos e a competência de seus engenheiros. Já andei de CrossFox, mas nunca sentei em um Ecosport. Isto leva a crer, que a minha fama de ser franco muito além dos costumeiros tapinhas nas costas da turminha consolidada de jornalistas credenciados pela Anfavea há séculos, parece criar certo arrepio nos departamentos de imprensa das montadoras. E isto é ótimo.

A Ford me parece uma destas que morrem de medo de mim. Afinal insistem em me mandar um lindo e extenso texto de como é fantástico o seu „novo“ carrinho popular, segundo o texto praticamente a reinvenção do automóvel, mas não recebi convite de ver de perto, muito menos de testá-lo. Como não sou de pedir esmola, só tem uma conseqüência como resultado: Não tenho como recomendar o novo Ford Ka 2009, o carro que a Ford tem receios de colocar na mão de jornalistas autônomos, críticos e verdadeiramente independentes.

Advertisements

45 Gedanken zu “Não compre o novo Ford Ka !

  1. Concordo com vc Mauro. Mas, no mundo atual dos negócios, mentir, enganar, esconder, omitir está se tornando normal. Infelizmente! Nunca comprei um Ford em função de não ter preço competitivo com a GM e VW.

  2. O produto foi lançado ontem e já tem gente metendo o pau. Uma pena. Se a montadora for atender ao pedido de todos “ jornalistas independentes“ para fornecer um carro para testes vai comprometer toda a produção do primeiro ano. Aposto que este carro vai ser o melhor da sua categoria e por puro preconceito será vítima de artigos perjorativos como este. Sem comentários. Perdeu um leitor diário

  3. Afonsinho, não sei qual artigo você leu, NESTE post não houve nada pejorativo sobre o carro em si. Quando as montadores européias apresentam um carro novo estes eventos duram uma semana inteira, são convidados jornalistas do mundo inteiro. E depois se repete a dose de forma regional. Quero ver UMA só montadora no Brasil mostrar essa competência!

    Thiago, creio que como o Afonsinho você não entendeu bem. Nem como funciona o mundo de comunicação, nem o papel da imprensa enquanto a avaliação de produtos. Talvez um probleminha na interpretação de texto. Pelo menos você foi rápido no gatilho com a sua avaliação gratuita da minha pessoa. Muito obrigado.

  4. Se você interpretou o texto corretamente? Tenho lá minha dúvidas. Para mim arrogante é um departamento de imprensa sequer responder a e-mails de um profissional. E não é caso isolado. Deixar de se informar com quem está lidando é incompetência no ultimo. Você ainda verá mais posts deste caráter por aqui.

    Com certeza não interpretou de forma correta o sarcasmo contido no título! Ou você faz tudo que te mandam fazer…?

    Todos os departamentos de imprensa, não somente da indústria automobilística, tem a meta de conseguir que o jornalista seja positivo, benevolente com o produto, que ajude a vende-lo. De preferência que o título da matéria seja: Compre o novo Ford Ka. Pois é, não faço parte da manada. Os profissionais PAGOS para exercer esta função na Ford são omissos e/ou incompetentes.

    Pergunto: É um problema isolado de um só departamento? Ou o departamento de engenharia é da mesma qualidade? Eis aí a pergunta que eu não vou poder responder.

    Agora, meu amigo, se você ainda acredita que não existe relação entre matérias nos grandes veículos e o valor que a montadora gasta em anúncios e comerciais nos mesmos, continue vivendo nesta inocência. Quem sabe você até seja mais feliz assim…

  5. Thiago e Lauro (esse me faltava ainda…): Aparentemente não é apreciado o fato que ainda me dou o trabalho de responder a posts pejorativos a respeito da minha pessoa!

    Em dia de chuva talvez até responderia estas subjetividades, que contrário às feitas por mim demonstram uma tremenda falta de argumentos e informação de fundamento. Se enxerguem! Ambos!

    O que tinha que colocar foi exposto acima! Não gostou, direito seu. Não criei este blog para perder tempo com debates sem finalidade! Quer debater? Volte para a sua comunidade de Orkut. Não gostou do blog, tem muitos outros pra frequentar.

    Um dia de sol como hoje saberei aproveitar muito melhor. Pois é, até eu tenho limites nas minhas possibilidades. Por exemplo não sou açougeiro pra ficar enchendo linguiça aqui.

    E com isto se encerra o assunto.

    P.S. Pelo menos ALGUÉM prestou atenção e entendeu o lance do Ka 2009

  6. Caraca lançar o carro no final de 2007/início de 2008 e chama-lo de modelo 2009 é de matar qualquer um !!!!

    Esse carro seguindo a receita atual das montadoras brasileiras, nada mais é ue o velho Ka, modificando na frente e na traseira além do painel, pode até ter melhorado, mas dizer que é novo é forçar um pouco a barra, e como a VW que lança o Gol Geração 5 (nem sei se é esta mesmo) como se fosse um novo carro, uma nova geração !!!! é achar que todo mundo passa recibo de idiota. ainda mais em um carro que piorou sensivelmente na sua „nova“ geração, o acabamento interno é sofrível, muita rebarba de plástico (que domina a cabine), parafusos aparentes e esse horrível painel do Fox e sabem da maior ? o Gol que vai para „nuestros hermanos“ tem acabamento muito melhor pois ele ainda mantem o acabamento e o painel do geração 3 e 4.

    Deve ser porque aqui o pessoal se contenta com pouco…

  7. Mario…

    Eu prestei atenção sim, e acho que vc está mais do que certo em não recomendarem a comprar o Ford Ka 2009. Não confio em revistas como 4 rodas, auto-esporte, etc… para mim são matérias pagas para pegarem pessoas inocentes. falo isso pq já fui assinante de ambas, e me arrependo de ter jogado dinheiro fora.

    A Ford do Brasil, deve ao mínimo, responder seus e-mails, dizendo que não haverão test-drives.

    Amigos que falaram mal e não entenderam nada: vcs compram um carro sem mesmo andar com ele? Não, e se comprarem é pq são muito bestas mesmos. Um jornalista, para dar sua opinião a seus leitores, precisa de um test, como nós consumidores, e a Ford não o fez, e aparentemente não o fará. Qto a qualidade e amplitude dos leitores de um jornalista, com toda a certeza, se ele não tivesse leitores e/ou conhecimento técnico, estaria desempregado. pois são os leitores que dão emprego ao jornalista.

    Amigo Mario, espero não ter conturbado seu ambiente, não foi minha itenção.

    Grande Abraço, e bom final de semana.

    Jairo.

  8. Interessante o debate,

    O sujeito escreve para uma prestigiada revista alemã especializada em automobilismo (da qual todos os pulhas que se dizem jornalistas especializados aqui no brasil, copiam o conteúdo!), é comentarista de um cana de esportes de prestígio no Brasil (o BANDSPORTS), tem passe livre no paddock da F1 e faz parte da comunidade no Brasil dos bons e competentes jornalistas especializados (esses sim!) em automobilismo…

    Agora eu, sinceramente, gostaria de saber quem são e ler o currículo dos caras que são convidados para escrever sobre o Ford K e dizer amém para a FORD… É só para entender quais os requisitos para tal…

    Abraços, Mário

  9. Olha ai Becken, concordamos em algo… 🙂 abracoss

    Pois e, acho q a maioria das pessoas realmente entederam mal o Mario…

    Ele quis tratar do desrespeito da maioria das montadoras para com a imprensa de qualidade e imparcial, que no cenario brasileiro esta muito limitada…

    Quem perde com isso??
    A propria Ford, pois caso viesse a receber criticas, poderia evoluir…
    E nos, os consumidores que muitas vezes compramos produtos eivados de propagandas enganosas…
    abracossss

  10. Não julgo se é arrogancia ou não, mas é mais um produto requentado (e avacalhado em termos de design, ao menos na dianteira)

    E quanto as revistas nacionais, melhor não comentar, afinal as publicações que elevaram o Fit e o Civic as alturas, são as mesmas que agora criticam e os colocam em baixas posições em suas „comparações“ e „testes“, comparações estas que, quando lançados, essas revistas colocavam esses carros como vencedores e na capa, estranho pordutos novos „regredirem“ tão rapido né ? Acho que isso se chama „comprado“

  11. Eu entendi o texto do Mário. Ele nao disse NAO COMPRE O NOVO KA no sentido literal. Foi apenas um modo de dizer ’nao tenho como recomendar a compra do novo Ka porque a Ford do Brasil nunca me chamou pra testar nenhum carro seu nem pra visitar seu departamento de engenharia e eu acho que isso é medo, portanto nao recomendo a compra de um‘.
    As pessoas gostam de bagunça que é uma coisa viu.

    Eu acho que cada caso é um caso. O Vectra GT é um carro com motor de Monza flexfuel, base do Astra e várias outras coisas reaproveitadas. Mas é um carrão. Eu compraria fácil.

    Ao contrário do ’novo‘ Gol G4, que é um facelift vagabundo do G3(que por sua vez é um facelift mais bem feitinho do G2, que é do G1), que eu nao compraria. Ou do ’novo‘ Celta, que é outro facelift safado em cima de um carro que é basicamente o Corsa de 94.

    O ’novo‘ Ka pelo menos mudou bastante, tiveram trabalho em colocar o lugar da 5ª pessoa, remodelaram a carroceria inteira(embora tenha ficado feio) e o interior eu nao vi. Entao é, no meu conceito aceitável.

    Eu, particularmente, nao gosto dessa mania das fábricas nacionais de remodelar carros velhos e chamar de novo. Vamos ficar na idade da pedra dos carros em poucos anos. Ou voces acham que a carroceria do Astra nacional foi concebida pra abrigar 6 ou mais air bags? Ou que o Vectra nacional (Astra sedan europeu) tem a qualidade e requinte que tentam vender? Lá fora os carros sao muito mais evoluídos. Voltaremos aos anos 80 onde os carros nacionais eram pré-históricos, se comparados aos europeus. E isso é uma pena e o que me chateia mais é o fato de os consumidores(inclusive meus pais) nao se importarem de estar comprando tecnologia velha. E o que é PIOR ainda é o fato de estarem comprando tecnologia velha e pagando caro. Ou alguem acha barato um Vectra GT por 60 mil reais?

  12. Condordo plenamente com vc José Carlos, eu sou leitor a pouco tempo do Mario Bauer, e já sou um grande admirador dele.

    Sou leitor dele, e admiro a coragem de como ele expressa suas opiniões.

    Abs,

    Jairo.

  13. Amigo, seja profissional. Não queime o seu filme por causa de um contra-tempo destes.

    Criticar quem estava envolvido com isto, talvez. Mas agora, dizer „Não compre o Ford Ka“ porque voce se sentiu ofendido com isto.

    Existem muitos admiradores seus aqui que no mínimo poderão ficar chateados com esse ato, que não compete com a sua pessoa.

    Não concordo também com a Ford fazer o que fez, e talvez não tenha sido possível, nunca sabemos. O fato é que foram produzidos 500 Ford Ka, poucos pra testes e o resto pra vendas especiais.

    Por favor não faça isso neste endereço respeitado de informações, pegou muito mal, pelo menos pra mim.

    Não é nada pessoal.

  14. Me diga um coisa, William: Você não acredita também que este país seria um lugar melhor, se a falta de competência e seriedade, a falta de respeito com quem procura exercer a sua profissão com coerência, se estes fossem denunciados mais frequentemente?

    Isto não se refere à você, William, mas na verdade estou pasmo quanta gente só parece ler o título do post e as primeiras cinco seis linhas. Ou é incapaz de enxergar as entrelinhas…

    Na verdade não me interessa „testar“ um Ford Ka. TESTAR de verdade foi andar de McLaren F1 na periferia de Woking, de Ford Mustang Roush na pista de testes da Ford em Detroit, de Porsche Cayenne na Finlândia, ou ter uma Porsche 993 Turbo ou uma Lotus Esprit Turbo à disposição na Alemanha durante uma semana, por exemplo. ISTO são testes que interessam. A mim e aos meus leitores.

    Queimar o meu filme? Com quem? Não dependo de ninguem desta indústria tão brasileira! Sempre ganhei meu pão fora do país e pelo que vejo continuarei bem melhor assim. Além disto, os que me tratam como respeito e profissionalismo serão sempre elogiados e terão a minha cooperação. O resto será exposto desta forma. Doa a quem doer!

    A questão aqui é a bronca que cresceu com estas atitudes, que não são nem exceção, nem limitadas a esta indústria. Ou você acha que a crise aérea e gente amontoada em aeroportos, sem saber o que acontece, é um acaso? É fruto do mesmo desinteresse de fazer as coisas bem feitas que reina a cultura deste país.

    E porque deveria eu ficar calado, se me incomodo demais com esta falta de postura, que parece já ter virado parte da cultura? Porque deveria aceitar que se passa vergonha na maioria do tempo quando se procura estabelecer contatos para empresas estrangeiras, por exemplo, por que raramente acontecem? Sequer um mínimo de eficiência pode ser exigido neste país sem ser chamado de „chato“!

    Me parece que senso crítico e franqueza ainda vão levar alguns séculos para desembarcar no Brasil!

    Este tipo de puxão de orelha será mais frequente, pois este espaço é palco para minhas opiniões sobre a F1, o Mundo e o Brasil. Não faço questão que concordem comigo, mas também não farei media por audiência.

    Repito: Não vou elogiar nenhum produto da Ford NO BRASIL, seja aqui ou na mídia que represento, pois não apoio a atitude desta empresa! Tenho, porém, um ótimo relacionamento com vários personagens importantes da sede nos EUA, e das sucursais na Inglaterra e na Alemanha.

    Não posso me queixar da interação ativa com a Ford no Mundo afora. Só no Brasil que as coisas não funcionam. Pra variar…

  15. Desmerecer o veículo comparando-o com os outros „testes“ que ja tenha realizado não vai-te levar a nada. Estou sendo franco contigo, e estou usando meu senso crítico e como fã que sou de sua pessoa que digo isso.

    A Ford pode ser comandada por muitos imcopetentes e pessoas que desmerecem os altos cargos que ocupam, mas não acreditoq ue isso deva ser motivo para criticar engenheiros e designers que como eu trabalham arduamente em projetos como este novo carro que foi um grande feito da industria automobilistica brasileira e certamente sinto muito orgulho de fazer parte da mesma.

  16. Ahaaa, William, agora estamos chegando lá. Então você se sente injustamente lesado na sua honra profissional? Então você entendeu! Mesmo se somos de profissões diferentes: Bem vindo ao clube!

    Porque o resultado é que o seu trabalho e sua competência estão sendo soterrados pela incompetência de outros canais. Somo ambos então vítimas da mesma gente. E não é EU me calando que isto vai melhorar. Ao contrário, assim JAMAIS melhoraria.

    E afinal é esta a intenção: Que alguem nos andares superiores entenda onde a coisa está falhando de tal forma que, pelo menos no meu caso, conseguiram o inverso de uma divulgação positiva.

    Sei apreciar a sua franqueza e agradeço demais os elogios. Aliás, em nenhuma frase eu critiquei o carro ou quem o desenhou e desenvolveu. A frase era: „Não tenho como recomendar o novo Ford Ka.“ Simplesmente a mais pura verdade. Pois sem sequer ter visto o carro no seu lançamento, como poderia recomendar a compra? ISTO seria anti-ético.

    Assim como você não pode aceitar que o seu trabalho seja avaliado de forma negativa sem que pelo seja averiguado o resultado final, do mesmo jeito não vejo porque devo aceitar ser avaliado pelo departmento de imprensa como profissional digno de ser ignorado. A escolha não foi minha. Somente escolhi a forma de responder a isto.

    Mas eis uma sugestão: Já que você trabalha na empresa, porque não passa discretamente um link deste post para a diretoria? Já não se trata mais de testar o carro, pois não tenho costume de reaquecer o que outros já paparam. Mas terei o maior prazer de repetir as minhas observação onde for mais adequado. Ao meu ver a diretoria, tanto de vendas como de comunicação, pouco parecem saber do que acontece lá em baixo.

  17. Parem de papo e deem logo o carro na mão do Bauer

    Que medo é esse?!?!?!?

    Esse Ka novo parece mais um face-lift do Celta, que anda mais é doq um face-lift do Corsa.

  18. Mário, fico imaginando um texto seu de um hipotetico teste do Siena, considerado um dos piores carros em termos de comportamento em curva

    no teste de aderencia lateral ele não passou de 0,72 / 0,83 g e tendo como base que nesses dois parametros o melhor carro nacional havia sido o Golf GTi com 0,85 e 0,96, respectivamente

    Fico imaginando voce com sua sinceridade descendo o malho no carro hahaha

  19. Na verdade o departamento de imprensa da Fiat é igualzinho ao da Ford.!

    Aliás, pior ainda! Sequer conseguem colocar meu e-mail na lista de distribuição. Mas daqui a pouco vão querer divulgar um face-lift ou „bunda-lift“ de alguma coisa, aí a gente se fala de novo…

  20. De todos os comentários, o que mais me chamou a atenção foi o desprezo com que o „jornalista“ trata dos automóveis da industria brasileira. Não sei nem como ele ainda escreve em portugues… ele que vá morar logo na europa ou EUA e nunca mais fale que conhece o Brasil.
    Curiosidade… com tantos trabalhos mais importantes no primeiro mundo… porque se importar tanto com um carro popular de entrada no Brasil ? Talvez seja porque o lançamento seja tão significativo que uma matéria sobre o pequeno grande KA renderia centenas de milhares de visita, mesmo porque há um número muito maior de letrados em lingua portuguesa que estariam dispostos a comprar uma KA do que um Porsche.
    Talvez seja hora de só escrever em alemão enquanto aprecia um saboroso Eisben.
    Aos que pretendem comprar um carro… esta é mais uma prova que nao devemos consumir os textos jornalisticos sobre este assunto… a melhor reportagem é aquela feita pelo comprador durante um test-drive… e garanto, a maioria dos revendedores (independente da marca) nao vão negar.
    Existem formas mais diplomaticas de protestar… portanto, prefero não falar sobre carros.

  21. A pergunta que me surge logo ao ler tantas nulidades:

    Afinal, o que VOCÊ quer aqui, no meu espaço, se você está tããão contrariado pelo exposto? Aliás, não me lembro onde fiz uma só colocação sobre qualquer carro brasileiro que seja.

    Você LEU o post em questão? Sim? Então me parece que você é mais um ligeirinho que não pára para absorver a essência do exposto antes de responder com um post encharcado de futilidades e preconceitos.

    Essa hipocrisía é de lascar. Melhor deixar quieto, não reclamar de nada daquilo que dá errado> Que a „zona“ continue. É isto? Pois é, o Brasil está assim, retrógado, porque tá bão demais do jeito que está, né…? Reclamar, expor, denunciar não serve pra nada, não é? Porque será que criaram o PROCON então? Pra que existe um disque denunicia então? E por final: Quem disse que não aplico outros métodos de protesto TAMBÉM?

    Também não vejo o porquê colocar a minha profissão em aspas nos seus comentários. Alguma maneira „esperta“ de duvidar com o que ganho a vida? Ou é simplesmente mal informado?

    E mesmo assim EU tenho a educação e competência de responder. Mesmo se ninguem me paga por isto. Muito ao contrário daqueles que critiquei!!!

    Para sua informação: Este espaço já existe em inglês, agora também em espanhol e, acredite se quiser, SIM, vem aí Grand Prix Insider EM ALEMÃO! Espero que você curta bastante, já que você aparentemente não entendeu absolutamente NADA enquanto aos motivos e métodos expostos aqui em português claro

    E o que faço no MEU ESPAÇO ou da minha vida, é UNICAMENTE assunto MEU. Coloque-se no seu devido lugar, OK?

    Convido-lhe a frequentar outro blog se não gostou do exposto aqui. Ou se não aprendeu a aceitar que existem opiniões contrárias à sua e que se deve dialogar com respeito e educação. Pois ESTE vai continuar sendo o meio de expressar a MINHA opinião. Franca e honesta. Goste ou não, doa a quem doer.

    P.S. Se errei na gramática em um mês o tanto que você errou em um único post, está de bom tamanho…

  22. Mario, meu comentário foi refente à importância dada no post 21 aos trabalhos e automóveis estrangeiros. A qualidade dos seus textos e seu curriculo impecável permitem que você se expresse com efetividade sem a necessidade de enaltecer deficiências do Brasil que não têm relação com a indústria automobilística. Quanto ao fato da Ford não convidar de forma democrática e honesta os vários meios de comunicação independentemente do porte, credo ou religião, tomo a liberdade de extender o descontentamento para vários outros fabricantes também. Proponho um desafio aos leitores deste blog pesquisarem sobre testes de veículos em lançamento. Certamente a conclusão será que a meia dúzia de veículos destinados a teste, vão parar sempre nas mesmas mãos (4rodas etc.). Neste ponto Mario, você está coberto de razão. As montadoras sabem que os testes são um paradoxo, é uma questão de estatística, quanto maior a amostra, maior a probabilidade de falhas, principalmente se a avaliação partir de uma fonte independente.

    P.S. Se errei na gramática, peço desculpas, em um país tão heterogêneo, é difícil ter acesso às mesma fontes de conhecimento, ou pelo menos com a mesma qualidade.

  23. Fico feliz que você decidiu se retratar enquanto o tom do seu primeiro post, Tiago, aquele realmente não caiu bem. Aliás, gosto muito mais de picanha do que de Eisbein… 😀

    E concordo plenamente que o problema descrito se estende às outras montadoras no Brasil. Estas mostram o mesmo comportamento ineficiente, uns mais ociosos que os outros.

    Enquanto a BMW do Brasil, só para citar um exemplo, responde no mesmo dia. Há um ditado alemão, que sugere que o peixe começa a feder pela cabeça. Na BMW do Brasil me parece tudo fresquinho, em outras montadoras o „fedor“ ficou insuportável.

  24. Se eu também fosse dono de uma montadora de carros eu também não colocaria meus veículos nas mãos de qualquer jornalista. Nâo estou te menospresando como profissional. Apenas acho que, como você mesmo disse, como jornalista autonomo seu trabalho tem expressão tão pequena que para a montadora, entregar um veículo na mão da imprensa especializada de ponta (leia-se 4 Rodas, Auto esporte, etc) é mais facil E MUITO MAIS SEGURO. Sim, seguro, pois a imprensa maior é mais comedida ao falar mal de um produto. Ela entende sua influência e a sua funcão como Mediador. Ela não trabalha como um alarmista, tal qual o título deste tópico. Acho que a propaganda negativa que a empresa pode se sujeitar colocando o veículo na mão de qualquer um é o fator de vocês, autonomos, ficarem de fora. E todo mundo sabe, propaganda negativa (noticia ruim) espalha rapido.

  25. Tem uma série de coisas que você parece ignorar na sua avaliação, se colocando no lugar de uma montadora, que gostaria que você me respondesse:

    1) Meu trabalho tem expressão pequena? Você acha que toco a minha vida ganhando R$ 0,00 só fazendo este blog? Como você sabe qual mídia eu represento? Não sabe! Porque? Nem entrou em contato para averiguar. E se eu estivesse fechando acordo com a Folha, Estadão ou a Veja neste instante, ou estaria na frente de uma produtora prestes a lançar um novo programa automotivo na TV e a primeira matéria seria justamente sobre o carrinho que você quer vender…? Lembrando-me do modo arrogante que você (a montadora) me tratou, esperaria o carro sair, alugaria um. E apontaria para todas as falhas de segurança, de acabamento, de qualidade e falhas de projeto. Estaria frito, meu caro! Aliás, quem disse que não é justamente isto que petendo fazer com o Ka…?

    2) Como você sabe como trabalha a imprensa SÉRIA? Ou melhor: Como você separaria os tão comentados jornalistas „ctrl+c,ctrl+v“ (que tramitam perfeitamente nas grandes redações) daqueles que conseguiriam convencer o leitor do seu produto? Pelo título? Pelo número de tiragem? Não, claro que não. Para impedir qualquer má repercussão você compraria, digamos, anúncios no valor de R$ 200.000 de cada uma das maiores editoras e, bingo, não vai ter crítica alguma sobre o teu produto. Foi assim que Volkswagen abafou durante anos, não , décadas que a lataria do Gol rasgava (!!!) na fixação das portas dianteiras.

    3) Como você vai querer prever o que um jornalista “freela”, se associando a uma editora ou emissora, que acaba de perder de você (a montadora) um contrato de anúncios ou comerciais? Outem outro motivo de descontentamento. Muitas vezes estas divergências humanas que geam os escândalos. Eu já dei muito trabalho a Mercedes-Benz na Alemanha. E não foi difícil achar editora que topasse publicar uma matéria negativa. E aí? Será que valeu a pena ser arrogante? Esnobar quem trabalha com determinação profissional? Se você acha, que RP é só fornecer carros para essa meia dúzia de revistas e jornais de grande tiragem e pronto, para que a Ford tem um departamento de assessoria de imprensa de uma dúzia de funcionários, dos quais a metade até faz plantão no feriadão??? Fazem plantão pra Veja? Pra Época? Pro Estadão? Pra Folha…? Na verdade nem eles sabem pra que…

    O que acho mais engraçado no seu comentário: Você NÃO É montadora alguma. Você é, de fato, consumidor. E como tal você deveria estar grato por cada jornalista que põe a boca no trombone. Qual seja o assunto. Para que você esteja precavido. Mas não, você quer defender os vilões. Você é também fã das empresas aéreas? Ou da Infraero? Este assunto ainda não estourou por aqui por mera sorte…

  26. Amigo. Nao estou analisando a coisa do lado do consumidor. Veja bem, eu me coloquei na posicao da montadora. É claro que como consumidor eu prefiro infinitamente que as coisas sejam feitas como na Europa, com divulgação e respeito a uma gama muito maior de profissionais. Como eu disse na primeira frase do meu post, me coloquei na posicao da montadora. Mas há enormes diferenças entre o mercado europeu e o brasileiro. Começa pela propria imprensa mais responsável, passa pela qualidade do produto que estão lançando e termina na capacidade dos leitores de filtrar o que realmente lhe interessa como noticia. Mas enfim, isso ja é outro assunto.

    O que eu quero deixar claro é que não quis menospresar seu trabalho. Como disse, e repito, você mesmo se colocou no grupo de autonomos e independentes. Agora se você tem ou nao divulgação do seu trabalho, se vive ou nao do blog, bom isso aí ja eh uma questão particular sua.

    De certo que me fiz parecer um pouco pessoal e até defensor da montadora (vilão), mas não foi o que eu quis fazer. Minha intenção era apenas mostrar o lado da montadora. Nao trabalho no ramo, nem sequer sei ao certo como funciona o esquema (imagino, entrentanto). Só acho que a forma de defesa que elas estao tomando é esta, e repito: se eu mandasse no negócio? Faria do mesmo jeito.

  27. Eu entendi perfeitamente a sua colocação. O que você não parece entender, é que estou criticando a OMISSÂO DOS FUNCIONÁRIOS da dita montadora. Os caras estão lá, sendo pagos para fazer um trabalho e simplesmente deixam de fazê-lo.

    Já que você se coloca no lugar da montadora: O que representa uma pessoa, que ganha salário X, mas sequer tem a determinação e seriedade de tomar conta de sua caixa de entrada e e-mails??? Chamaria isto de eficiência? Você defende este comportamento? Você faria o mesmo? Então seria mais um que chamaria da incompetente e mal-educado. Sinto muito, mas não suporto ambos perfis de comportamento.

    No Brasil existem montadoras (Nissan) e importadoras (BMW), que interagem com o jornalista de forma satisfatória. Nem sempre a respostas é sim, e nem tem como ser, mas uma pergunta merece uma resposta. Ainda mais entre profissionais. É DISTO que a Ford NO BRASIL é comprovadamente incapaz.

    Repito pela enésima vez. ISTO não é sobre o carro, não é sobre a Ford a nível global, é um boicote à esta turminha relaxada no departamento de imprensa da Ford DO BRASIL!!!

    E o título convém perfeitamente, pois qualquer estudante de jornalismo aprende que o título de uma matéria tem que ser chamativo para atrair o interesse do leitor. Feito. Assimilar o título com o exposto é um exercício de raciocínio ao qual o próprio leitor tem que ter vontade de se submeter. Aí não posso ajudar.

  28. Desde ponto de vista que agora enxerguei concordo contigo.

  29. Mário,

    é um assunto meio marginal a esse post, mas vc poderia comentar:
    quando e porque as montadoras brasileiras se retiraram das competições…

  30. Max, creio que não sou a pessoa certa para se aprofundar neste assunto, já que passei quase toda a minha vida fora do Brasil. Mas que existe uma cegueira generalizada enquanto ao potencial do marketing esportivo por parte das montadoras, isso não tem como negar. E a StockCar Brasil está fazendo o papel do ciclope entre os cegos…

  31. você imagina engenheiros de designe da ford fazer um carro do gosto de toda a população brasileira? não né, não imagina!! esse não seria um engenheiro e sim um ilusionista.
    obs:pois gostei tenho um celta e vou comprar um ford ka

  32. O que tem a ver com o exposto???? Ou melhor: o que tem a ver com o que expus NAS ENTRELINHAS???

  33. Lucas, tá desculpado pela idade! Mesmo assim não vou lhe dar espaço aqui. Pelo menos enquanto você não aprender a argumentar sem baixaria! Mas sendo educado, vou lhe responder mesmo assim:

    Então jornalista bom pra você é jornalista famoso? Só? Por isto que o Brasil tem „astros“ como o Gagá Bueno. E mesmo se fosse este o padrão, então sou MUITO BOM na Alemanha….

    E você acha que ganho a vida fazendo isto aqui??? Pergunta ao teu pai, se dá pra sustentar filhos escrevendo um blog…

    Pior é que tem adulto escrevendo tais coisas, sem noção de como normalmente funciona a interação entre profissionais!

  34. de qualquer maneira gostaria que avaliasse o novo ka e nos desse uma posiçao com relaçao ao seu posicionamento de mercado, se ele é mesmo melhor(na sua opiniao ,claro)do que palio ,gol e celta todos duas portas.

  35. Desculpe Eduardo, vou lhe ficar devendo. Finalmente encerrei o contato com a Ford do Brasil no dia 21 de dezembro de 2007 depois desta do departmento de (brincar de) imprensa :

    20/12/07
    PLANTÃO DO DEPARTAMENTO DE IMPRENSA DA FORD NO PERÍODO DE FÉRIAS COLETIVAS (pira nessa!)

    “ Caro(a) jornalista,

    Informamos que nos períodos de 26 a 28 de dezembro e 02 a 04 de janeiro a área de Imprensa da Ford manterá um plantão permanente para atendimento de solicitações. Os contatos são os seguintes:

    Célio Galvão (o glorioso cacique da tribo)
    Fone: (11) 4174-9522
    Celular: (11) 8612-0328
    Email: cgalvao@ford.com

    Ricardo Torreglosa
    Fone: (11) 4174-9591
    Celular: (11) 8511-7401
    Email: rtorregl@ford.com

    Pamela Paiffer
    Fone: (11) 4174-9561
    Celular: (11) 8635-9304
    Email: ppaiffer@ford.com

    Tássia Rodrigues
    Fone: (11) 4174-8235
    Email: trodri17@ford.com

    Ruth Oliveira (Camaçari)
    Fone: (71) 3649-2518
    Celular: (71) 9176-5276
    Email: rolivi59@ford.com

    Fábio Andreoli (Frota)
    Fone: (11) 4174-5646
    Celular: (11) 9432-8354
    Email: fandreol@ford.com

    Informações de imprensa: http://www.ford.com.br (Institucional / Sala de Imprensa)

    Fotos: http://www.fotosford.com.br (senha: imprensa) “

    Brincadeira, né? Minha resposta:

    Date: Fri, 21 Dec 2007 06:42:07 +0000 (GMT)

    Re: PLANTÃO DO DEPARTAMENTO DE IMPRENSA DA FORD NO PERÍODO DE FÉRIAS COLETIVAS

    To: cgalvao@ford.com, rtorregl@ford.com, ppaiffer@ford.com, trodri17@ford.com, rolivi59@ford.com, fandreol@ford.com

    „Desculpem, mas isto por acaso seria algum tipo de piada???

    Nos últimos dois anos o departamento de imprensa foi INCAPAZ de interagir comigo, sequer teve a decência de responder aos meus e-mails, e agora investem seu valioso tempo para montar um plantão…?

    A qualidade do seu trabalho foi assunto recente no meu blog.

    Não precisava chegar a este ponto. Mas infelizmente é o caso.

    Atenciosamente

    Mario Bauer“

    P.S. Das mensagens enviadas aos e-mails citados acima DOIS bateram e voltaram. Nem mesmo para divulgar seus próprios contatos corretamente essa turminha tem competência. O que não chega a surpreender. Se até bichinhos (e bichinhas) são contratados pra vender carro na TV…

  36. Mario, gostaria muito de saber qual a sua opinião sobre os carros brasileiros quando comparados com os europeus. O Fiesta, por exemplo, produzido aqui pode ser comparado com o que a Ford Fiesta produzido na Europa. Como você avalia os carros brasileiros (principalmente os modelos de entrada?

    Parabéns pelo site. Muito bom!!!!!

  37. acho que eu entendi errado.vc nao disse que poderia alugar um para fazer o teste ? pelo menos foi o que eu entendi em uma das respostas suas.se nao foi isso exatamente fica a sugestao para que o faça.

  38. Disse sim, Eduardo. E já que tive que alugar carro ultimamente, perguntei pelo novo Ford Ka. Vê se locadora quer comprar a bagaça…

  39. poderia me dar uma opiniao sobre o vectra gls completo 97? tem um colega meu vendendo e o preço ta bom(16500) e o carro tbm.gosto de carros tipo vectra e gostaria de saber sua opiniao sobre ele.sei q fugiu do topico mas a essa altura com tanta polemica prefiri mudar o asssunto .

  40. Sorry, „Ka Lover“ mas neste blog a Ford do Brasil não ganhará mais espaço algum. Até o que tenho o que colocar aqui hoje como resummo é mais que esta empresa e seu departamento de „comunicação“ merecem…

    Pela ultima vez: Não é sobre a Ford em geral, não é sobre o carro, estou pouco me lixando em „pilotar“ um carrinho popular (vixi) e não tenho interesse algum em discutir produtos da indústria brasileira.

    Esta matéria simplesmente destaca a falta de profissionalismo, da qual continuo acusando o departamento de comunicação da Ford DO BRASIL e que a torna mais um exemplo do declínio do nível de qualidade dos profissionais brasileiros em uma multi-nacional, em comparação com a atuação dos seus colegas nos EUA, na Inglaterra e na Alemanha.

    O que realmente me espanta é que mais que a metade dos comentários demonstraram que seus autores NÂO ENTENDERAM o tom cínico do post.

    Portanto, eu diria: De volta às aulas, treinar interpretação de texto!

    Enfim, já que se esgotaram os argumentos sadios, não tenho mais paciência de ficar repetindo aos desavisados todavia a mesma coisa. Vamos virar o disco: Post fechado para comentários e ponto final.

Die Kommentarfunktion ist geschlossen.