Montadoras no Brasil: Nota ZERO!

Nota zero! Já que estou em fase de bronca mesmo, deixem-me aproveitar e meter igualmente bronca no setor que provavelmente aqui no Brasil é por boa parte responsável por este fenômeno de “jornalismo ctrl + c, ctrl + v”. Ou você, caro colega, recebe respostas dos departamentos de imprensa das montadoras…?


Às vezes tenho que colocar em cheque os meus motivos na época de trocar a Europa pelo Brasil. Ontem tive uma longa conversa com um amigo sobre os modos de fazer negócios neste país. Por exemplo, na área de comunicação, marketing esportivo e merchandising. Você vê deficiências ou péssimo trabalho sendo feito pra tudo que é lado, da StockCar nem quero começar a falar, faz uma proposta e… ou dita empresa continua com o esquema furado (por motivos que só posso suspeitar) ou sequer responde.

Algumas semanas atrás o Carlos Ghosn, o CEO brasileiro da Renault, apresentou um projeto de melhorar a eficiência da montadora francesa a nível global. A Ford está fazendo esforços no mesmo sentido. Gozado, justamente as representantes destas duas empresas NUNCA respondem à e-mails dirigidos a quem seja do departamento de imprensa. Para melhorar a eficiência aconselho mandar essa turminha toda embora e contratar pessoas que levem o trabalho, para qual são pagos, à sério.

Carlos Ghosn, CEO Renault

E a Renault e a Ford estão longe de ser as únicas “incomunicáveis”. Você manda uma mensagem para qualquer equipe de F1, para o escritório do Bernie Ecclestone ou da FIA e, o fuso horário permitindo, recebe uma resposta no mesmo dia. Qual seria a desculpa das seguintes pessoas de serem incapazes durantes SEMANAS a responder um e-mail de um jornalista? Estou curioso. Aí vai:

“Andréa Santos” <andrea.santos2@volkswagen.com.br>
“Gerson Almeida” <gerson.almeida@renault.com>
“Silvia Cavalcante” <silvia.cavalcante@mpsa.com> (Peugeot)
„Roberta Silveira“ <r.soveir1@ford.com.br>
“Célia Galvão” <cgalvao@ford.com.br>
“Débora Silva” <dsilva25@ford.com.br>
“Lídia Menezes” <lidia.menezes@gm.com> (Chevrolet)
giorgia@mmcb.com.br (desconheço o nome, Mitsubishi)

„Lucimari Stocco“ lucimari.stocco@volvo.com foi mais ou menos, respondeu que não é seu departamento, mas não indicou ninguém, não passou adiante a quem poderia responder e o meu segundo e-mail, pedindo informação a quem me dirigir, nunca foi respondido. Igualmente inaceitável.

Em três casos tinha anteriormente enviado e-mails para um endereço geral indicado para cada departamento de imprensa. Eis os três que igualmente nunca deram retorno:
Citroën Imprensa“ <imprensa@citroen.com.br>
FIAT Imprensa“ <imprensa@fiat.com.br>
RENAULT Imprensa“ <imprensa.renault@renault.com>

F1journalists.com

Lamentável, caros amigos, realmente lamentável! Aplausos para o Felipe Reis da Nissan, o pessoal da BMW do Brasil e a assessoria CDN. São os únicos que agiram como verdadeiros profissionais. Para quem tem carros como Ferrari, Porsche, McLaren, Mercedes, BMW, Lotus e muitos outros no seu currículo de test-drives na Europa, atuar como jornalista do ramo no Brasil está sendo uma odisséia ridícula. Mais uma constatação triste da cultura profissional neste país!

Um colega se propus a ajudar, mas prefiro ao invés expor estes „profissionais“. Além de se tratar de uma tremenda falta de educação, não vejo porque teria que depender da intervenção de terceiros a meu favor, ou me tornar primeiro amigo do tio, primo, da cunhada ou da sogra de alguém do departamento de imprensa de uma montadora para ser atendido por um profissional que está ali, ganhando o seu salário para exercer justamente esta função, atender a imprensa. Tomara que os chefes destes “profissionais” freqüentem este blog…

Advertisements

13 Gedanken zu “Montadoras no Brasil: Nota ZERO!

  1. ótimo tema, Mario. Acho que os comentaristas aqui poderiam dar exemplos semelhantes em diversos ramos. Uma vez tentei comprar algo pela „maior“ livraria on-line do Brasil e o atendimento foi tao ruim que decidi: „com esta, nunca mais!“. E certamente nao sou o único cliente que perderam.

    Agora, no caso do atendimento à imprensa, é outro tiro no pé, porque ela ajuda na divulgacao da marca (vai ver que eles evitam a imprensa para que os defeitos dos produtos nao sejam divulgados.)

    (desculpe as falhas de digitacao. Você conhece as limitacoes do teclado alemao…)

  2. Pois é, o SAC dessa montadoras tambem deixa muito a desejar, a uns meses tive questões com um auto daqui e até hoje aguardo resposta, é piada com a cara de quem consome os produtos deles

  3. Oi, Mario. Esse tema é complicado… E o que é pior. Se vc tem alguma ligação com um veículo da grande mídia (impresso ou eletrônico de massa), eles te tratam como rei. Disponibilizam informações e dados na hora, colocam meninas bonitas para te atender e tal. Agora, se vc é free-lancer, ou é de um website (ainda mais independente, que não se preocupa em puxar o saco deles), os caras te viram a cara, e acham que vc é um nada. O Samahá, do BestCars (site que eu tenho a honra de ser um dos colaboradores), que o diga…

    Abraço!

  4. Pois é. Só que não tenho costume de engolir este mix de arrogância e incompetência. A Mercedes-Benz se comportou assim comigo na Alemanha. Se arrependeram amargamente quando entraram na F1 e um motor depois do outro explodia. Adivinha como foram os meus comentários…

  5. Mas esse atendimento não se resume apenas as empresas automibilisticas. Eu solicitei informações sbre a importação de um modelo de tênis da Adidas, que não existia no Brasil, apenas na Europa e como resposta, 15 dias depois uma frase difícil de ler. „Para qual finalidade você quer o produto?“ Pra mim tênis serve para ser usado nos pés, alguém tem outra utilidade?

    Maravilhoso blog.

  6. Exato Alberto, incluo nisto as empresas de informática Acer, Dell e Positivo. A Sony reagiu rapidamente,inclusive por meio da assessoria CDN. Por isto digo que isto é um defeito cultural sério!

    Tapinha nas costas não dá divulgação. Pena que não parecem ensinar isto nas faculdades brasileiras.

  7. Já pensou em ir nas sedes das montadoras aqui no Brasil e tentar falar com as pessoas? a Peugeot/Citroen e a Volvo ficam no Brooklin em SP, a Ford em São Bernardo, GM fica em Sao Caetano.

    quem sabe dá certo?

  8. Você acha isto normal, Danilo? Em pleno século 21, onde o mundo funciona por meio de e-mail, GSM e Bluetooth, EU é que devo me deslocar 200km para ver se encontro alguém no seu local de trabalho?

    A chance maior é de enfrentar um baita transito, somente pra chegar lá e ouvir „fulano deu uma ’saídinha'“ ou „surgiu um problema na família de beltrano e teve que sair“…! Não é sempre assim…?

  9. É Mario , esse país é uma bagunça.

    Como disse Charles De Gaulle „O Brasil não é um país sério“.

    A Quatro Rodas foi uma boa revistas , achei uma edição do final dos anos 80 e metendo o pau no Monza 1.8 , o carro era tão ruim que retificaram o motor sem autorização e sem comunicar o pessoal da revista. Viram que as buchas foram trocadas.

    Imagine se hj em dia, eles „denunciam“ esse tipo de erro???

    A GM lança o Astra europeiu e para não queimar o hatch , batizam de Vectra GT.

    Comparem a TC2000 argentina com o campenato Brasileiro de Marcas e Pilotos. Chega a dar vergonha.

    Vou pagar um curso de ingles para a minha noiva e me mandar pro Canadá.

    Hj em dia o brasileiro está anestesiado na inercia, as pessoas não tem senso critico e reflexão , não enxergam um palmo na frente de seus narizes.

    O unico momento que podem ter escolha , votam por conveniencia , por um trocado, votam em caricaturas como Frank Aguiar , Clodovil , Maluf.

    E cansei de ouvir quando estouram denuncias de corrupção, ouvi muito glutão dizer „Se eu fosse politico fazia o mesmo“.

    Aqui é o pais onde todos querem burlar o INSS e aposentar, meter o patrão no pau por esporte, pagar caixinha para o guarda rodoviario ou qualquer fiscal que cruzar o caminho. O fiscal tambem chega na ansia de uma propina e fica bravo quando não a recebe.

    Não existe senso coletivo e vive-se o modo de vida do jeitinho.

    Eterno país do Futuro.

  10. Mário
    Imagine eu que nem da imprensa sou.
    Veja o que enviei para o SAC da Citroen e para a imprensa. O email da imprensa retorna informando que está errado.
    O comportamento da concessionária aqui de Brasília é totalmente de desrespeito ao consumidor.
    Envio cópia de minha correspondência.
    Prezados Senhores

    Entendo que uma grande empresa deva ter uma assessoria de imprensa sempre preocupada em colocar as qualidades empresariais em evidência.

    No site da Citroen, fica clara essa preocupação conforme descrito no texto a seguir:

    Texto do site da Citroen: Moderno relacionamento com os clientes

    Para privilegiar o relacionamento com o cliente e a experiência de marca, a Citroën inicia uma grande transformação de sua rede internacional de pontos de venda. A marca implementa – tanto na Venda como no Pós-Venda, novos programas de comprometimento com os clientes na direção de temas considerados fundamentais para a marca.

    Entretanto, também deve saber ouvir as reclamações de seus clientes. Por esse motivo envio a vocês o mesmo texto que encaminhei para o SAC, a fim de dar amplo conhecimento de minha indignação.

    Prezados Senhores

    É com imenso aborrecimento que me dirijo a essa ouvidoria para relatar fato de desrespeito ao consumidor e, principalmente, a um consumidor fiel à marca há 10 anos. Desde 1998 sou proprietário de carros Citroen, passando por dois XSara e depois por três C3.

    Em Maio de 2007, fui pessimamente atendido pela concessionária de Brasília (Saint Moritz) quando tencionava adquirir um carro zero (C3-XTR), e quase optei por outra marca de veículo. Porém, um amigo me indicou a concessionária de Goiânia onde fui bem atendido e onde acabei por realizar a compra do C3-XTR.

    Recentemente, em agosto de 2008, julgando ser a concessionária Matignon de Brasília, de um grupo diferente da Saint Moritz, adquiri um outro C3. Compra à vista, que teve uma pequena demora na entrega do veículo, porém dentro do aceitável.

    Em fevereiro do ano em curso (2009), mais precisamente dia 26, comprei um C4-Pallas, tendo como parte de pagamento o meu C3-XTR. O carro não me foi entregue e não há explicação plausível para a demora, o primeiro motivo alegado é de que a fábrica não havia enviado o carro.

    Na semana passada, dia (23/02/2009), após nova cobrança feita por mim, o vendedor me informou que na sexta-feira próxima (27/03/2009), me entregaria o veículo. O atraso, segundo ele, foi porque o veículo sofreu avaria nas duas portas dianteiras e a fábrica o havia retido para troca e pintura. Na sexta-feira, a informação dada foi de que o veículo não estava pronto para entrega porque a oficina da Matignon estava cheia e não foi possível aprontá-lo.

    Hoje, 31 de março de 2009, comparecendo novamente à concessionária, fui informado de que o veículo não estava pronto porque havia problemas com a bomba de gasolina, componente de um motor que a Citroen não mais produz. Informaram-me que haviam pedido à fábrica uma nova e que iria demorar, por essa razão provavelmente me entregariam o carro dia 3/04/2009.

    Ora senhores, comprei um carro zero acreditando na Citroen e no seu programa de qualidade. O que vou receber? Um carro com portas trocadas, bomba de gasolina substituída e motor não mais produzido, informação que não me foi dada no momento da compra..

    Como se não bastasse esse desrespeito, a Matignon emitiu nota fiscal no dia 28/02/2009 e, fraudulentamente, carimbou que o veículo me foi entregue em 13 de março de 2009, em perfeitas condições, com o intuito claro de receber o financiamento (Leasing).

    Espero que a Citroen, que possui credibilidade no mercado, tome uma atitude à altura de suas responsabilidades, enviando com a devida urgência um C4 Pallas, nas condições tratadas no ato da compra. Se não houver nenhum posicionamento imediato da Citroen, estarei dando entrada no Procon-DF, no dia 2 de abril, a fim de cancelar a minha compra e mudar definitivamente da Citroen para outro fabricante que realmente tenha concessionárias que respeitam o consumidor.

    Paralelamente, estarei tomando providências jurídicas cabíveis neste caso.

  11. Ola,

    Infelizmente não me lembro do fato de não haver sido mais eficiente na resposta de seu e-mail.
    De qualquer forma, gostaria de lhe pedir desculpas pelos transtornos. Essa não é a forma como costumamos tratar as pessoas na Volvo. O respeito é parte de nossos valores essenciais.

    Obrigada

    1. Antes tarde do que nunca, nao é? Mas pode deixar, faz tempo que desisti do Brasil. Literalmente. Nao tem mais importancia.

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s