GP Brasil – O resumo (1ª parte)

rafael-reston-mario-bauer-sm.jpg  Bom, como estou ocupado absorvendo todo o acontecido no ultimo fim de semana e tenho também de cuidar de alguns assuntos comerciais que surgiram durante o fim de semana, tratarei de resumir a partir de hoje o acontecido diariamente.

Começarei o meu relato dos bastidores dos boxes com a 5ª-feira passada, quando o vencedor do concurso para desenhistas, que promovi e cujo premiado foi inclusivo eleito pelo seu trabalho por muitos de vocês, foi recebido pela Spyker para conhecer bem de pertinho os preparativos de uma equipe de F1 para o GP do Brasil.

rafael-reston-mario-bauer.jpg

Encontrei com Rafael Reston e sua esposa Marília no portão principal do autódromo às 10.00 horas, fomos em seguida recebidos por Mick Gomme, gerente de marketing da equipe. Após uma caminhada pelos boxes para conhecer o esquema geral das equipes presentes, frequentemente interrompido por encontros com velhos amigos meus tais como o Herbie Blash, Jo Bauer, Bernd Mayländer, o piloto do Safety Car, Chico Rosa, administrador do autódromo, e assim vai.

Hora do almoço, ficamos um pouco na mão na Spyker, lá todo mundo come de uma vez só e o lugar entope. Resolvemos almoçar na Toro Rosso, cortesia do meu amigo Franz Tost. Salmão, massa e salada, gastronomia medíocre não existe no paddock da F1, todos os “chefs” são fera. Após o almoço o tour pelo box, Mick explica como tudo funciona, deixar pegar na mão o volante de 50.000 mil libras (cerca de R$ 200.000!) do carro do Yamamoto e o capacete do Sutil. Menos caro, mas mesmo assim corresponde ao valor de um carrinho popular…

mick-gomme-rafael-reston.jpg

Enquanto aguardamos uma pausa na agenda do diretor técnico Mike Gascoyne, passeamos pelo paddock, passando pelos personagens mais e menos conhecidos Rafael e Marília fazem algumas fotos, me parecem um pouco tímidos para aproveitar mais. Mas isso eles vão relatar na semana que vem.

Por final o Mike nos recebe, conta que a Spyker aumentou o departamento de engenharia da Spyker para trinta e mais trinta funcionários cuidando unicamente da aerodinâmica. Nada fraco. Aliás, convenhamos que a época onde ainda havia equipes mal-financiadas e diferenças visíveis na apresentação passou. O box da Spyker se apresenta com muita atenção ao detalhe, limpíssima e brilhante, não se vê diferença para uma Williams, Red Bull ou Renault.

rafael-reston-mike-gascoyne.jpg

Bom, o Rafael prometeu que vai narrar a visita dele nos boxes da F1 em Interlagos com as próprias palavras e impressões. Vou cobrar, hein? Assim que voltar de sua viagem de negócios vou começar a pentelhar, viu? O concurso de design não me convenceu que vale a pena repetir a dose, recebi bons trabalhos, mas a relação entre inscrição e a participação no final foi decepcionante. Enquanto ao prêmio, creio que ano que vem vou inventar algum concurso aqui no blog, pois já tenho a promessa que haverá dois passes disponíveis para 5ª-feira do GP Brasil 2008.

Spyker F1 guided tour

Advertisements

Ein Gedanke zu “GP Brasil – O resumo (1ª parte)

  1. Boa Mário!
    Esse post foi só pra deixar uma inveja na galera?!
    hehehe

    Ano que vem, invente algo que eu possa participar também!

    Abraços e parabéns pelos excelentes posts!

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s