Vão desclassificar o „rei de Spa“?

FIA defintion by McLaren Fans  Vence pela terceira vez em seguida em Spa o finlandês Kimi Räikkönen. MAAAS: Agora vamos ver o quanto vale a objetividade da FIA: O „donut“ do Kimi Räikkönen depois da bandeirada deveria imediatamente reunir os comissários de pista e considerar a desclassificação do Räikkönen, já que manobras deste tipo são proibidas por regulamento!

Eu me lembro muito bem da severidade com a qual FIA lidou com o vencedor da prova de Formula 3000 em Hockenheim em 2002, Giorgio Pantano. O italiano fez a mesma coisa que Räikkönen agora pouco, mas longe de comissários de pista, longe do público. E foi punido!

Aplicando o regulamento com a severidade como o fez o conselho mundial na quinta-feira passada, não há como não desclassificar o Kimi. Vai acontecer? Claro que não. É piloto da Ferrari, não é? Aliás, não vou parabénizar a Ferrari pela conquista do Mundial de Construtores justamente por esta questão estar pendente.

Räikkönen, Massa, Spa 2007

Mesmo se Räikkönen prevalecer como vencedor do GP da Bélgica, aliás, merecidamente no sentido de até aquela besteira ter mostrado uma performance 100%, e assim a Ferrari levar o Campeonato, vou me isentar dos parabéns pela conquista. Já que este título não significa uma conquista, e sim uma herança, cortesia FIA.

Ah, gostei da transmissão da Radio Bandeirantes, o narrador Odinei Edson é outra coisa, competente, versátil e mostra experiência ao repassar perguntas bem colocadas. Fábio Seixas arrancou umas gargalhadas quando definiu a situação atual de Felipe Massa no campeonato em relação ao companheiro de equipe com um simples, curto, grosso e seco „porque o Räikkönen é um piloto melhor.“ Como dizia na propaganda de cerveja: É ponto.

Julio Gomes também convenceu, sempre com colocações ponderadas lá de Spa. O Jan Balder provou, mesmo se já está algumas décadas aposentado, que ponto de vista de piloto não pode faltar em transmissão de corrida. Parabéns! Pena que quase não se ouviu nada de Alessandra Alves, mais cavalheirismo, Gentlemen, deixem a moça com essa voz simpática falar mais.

Kimi Räikkönen

Só uma coisa manchou um pouquinho a excelente atuação do elenco: Esta discussão 100% especulativa sobre o futuro do Alonso. De um jornalista bem informado, a expectativa é que informe os fatos e eventualmente apresente um resumo pela lógica. Escutei dezenas de vezes a palavra „acho“. Parecia um destes debates cafonas em comunidades do Orkut, onde a desinformação dos participantes faz parte. Mas de um jornalista quero ouvir notícias, não „achismos“.

Fora disto certamente até agora a melhor alternativa para o áudio desgastado da TV Globo, mas isto já coloquei semana passada. A grande vantagem da Radio Bandeirantes comparando tanto com a Globo como a CBN: A comunicação via rádio com as equipes passa no áudio, sem ninguém enfiar blablá no meio, para logo depois serem traduzidas com competência pelo Fábio. Não tem esse negócio de „não deu pra entender“. É só o produtor se esforçar um pouco mais e a galera do time de narração limpar os ouvidos. A RB, para mim, parece a opção neste momento.

Advertisements
Kategorien: FIA

12 Gedanken zu “Vão desclassificar o „rei de Spa“?

  1. Mario, não entendi sua lógica. Pantano não foi desclassificado por causa dos „zerinhos“. Somou integralmente os dez pontos daquela vitória em Hockenheim/2002. Por que Raikkonen, então, seria?

    Sobre a Alessandra: acho que você se equivocou. Ela não participou da transmissão da Band hoje.

  2. Capelli, eu estava cobrindo aquela corrida 2002 em Hockenheim. Após a corrida a equipe Coloni foi chamada para a torre da direção de provas, o resultado ficou provisório por algumas horas e só depois de muito vai e vem, a FIA resolveu aplicar somente uma multa de 800 dólares. Aparentemente para não tomar influência na decissão do campeonato.

    Fora do fato que para uma categoria amadora $ 800 não ser pouca grana, ainda colocaram uma reprimanda na licença dele, ameaçando cassar se houver qualquer equívoco nas etapas restantes. O que complica um pouco, né? Quelquer fechada, qualquer ultrapassagem no limite, e o Pantano teria que temer perder a licença. Por causa de um „donut“.

    Regulamento é regulamento. Se essa manobra hoje, BEM perto dos comissários na La Source, não houver efeito semelhante, está tudo dito.

    Só consegui acessar o site cinco minutos antes da largada. Ainda porque (estranho) não existe link para escutar ao vivo pelo site da Band News. Vá entender. Então perdi a apresentação da RB.

    Enquanto à paticipação ou não da Alessandra Alves, uma vez que finalmente consegui acessar o site da Radio Bandeirantes, ouvi uma voz feminina duas ou três vezes, me pareceu que foi chamada de Alessandra, salvo equivoco meu. Ué, achei que ela é comentarista permanente da Band…

    Alessandra alves ou não, a voz era simpática =D

  3. Bom, wstá respondido. Quando se trata da Ferrari, a Pizza é servida quentinha. Embora seja uma infração clara conforme o regulamento, sequer uma multa foi aplicada.

    Repete-se a dose de Interlagos 2006, quando o Massa igualmente cometeu uma gaffe ao acietar uma bandeira de um comissário de pista. Igualmente um infração segundo o regulamento, mas sendo piloto da Ferrari sequer uma multinha de infração teve que pagar.

    Alguem pode me explicar o porque um coitado como o Pantano tem que desemblsar 800 dólares pela mesma coisa, que dois multi-milionários sequer recebem um aviso de investigação do ocorrido. Nada mais a acrescentar…

    É isto mesmo, Fleetmaster, fez toda a diferença poder escutar o rádio da equipes. Embora hoje não tenha sido muita coisa, o pessoal da RB entendeu o quanto isto é relevante.

  4. Eu sei que esta mensagem pode até estar no lugar errado, e até um pouco fora de tempo, mas alguém assistiu a edição do Esporte Espetacular na Globo (permitam um parenteses pois essa foi uma das poucas vezes que assisti) na qual o pai de Emerson Fittipaldi foi entrevistado?

    Ele fez um comentário „degradante“ a respeito de Felipe Massa, comparando-o a, ninguém mais niguém menos que Rubens Barrichelo, quanto a sua falta de esportividade e excesso de „choro“. E sem querer concordar demais, é interessado confirmar a teoria desse senhor deveras experiente lendo os comentários pós-prova de Felipe, que nem tão de longe lembram aquelas desculpa dignas de Rubens tais quais: „O carro não estava com o ajuste correto“ ou „Tive problemas com o trânsito“ entre tantas outras que nos acostumamos nesses já enjoados 13 anos.

    Sei que não sou piloto, mas se até Galvão Bueno pode fazer análises, eu também posso.

    Mário, se não for pedir muito, gostaria da sua opinião profissional a respeito de Felipe. Não posso acreditar que somente o Sr. Fittipaldi e eu desfrutamos desse mesmo ponto de vista. Desculpe o comentário em outro assunto que não o que já está sendo comentado.

    Abraços e parabéns pelo blog.

  5. Mário, fiquei surpreso com essa história do regulamento não permitir esses „donuts“ após as corridas. Coisa mais sem graça, aliás, eu acho que a F-1 deveria repensar a sua participação e interação com o público.
    Sobre a questão do áudio das equipes uma pergunta, é impressão minha ou a McLaren e a Ferrari nunca deixam aberto as suas conversas?
    Abraços

  6. Mario,

    Foi mesmo um donut?

    Não sei se você viu a tal manobra de Raikkonen na integralidade mas aqui, a TV francesa só apanhou o fim e a sensação foi que Raikkonen „perdeu“ a entrada dos boxes e recorreu a um powerslide para endireitar o carro, o que, convenhamos, não seria bem a mesma coisa…

    Por outro lado, não será a responsabilidade dos organizadores/fiscais da prova – in situ – de julgar a pertinência de uma sanção (e não da FIA em si)?

  7. Por isso que as categorias americanas tem seu charme e diversão intactos, ao contrário da F1. A NASCAR pune as equipes com rigor (O que fizeram com o time de Michael Waltrip no começo da temporada seria de deixar a FIA com vergonha tamanha justiça aplicada), permite comemorações (o vencedor pode fazer donuts, andar a pista ao contrátrio, sair do carro e ir vibrar com o público (inclusive escalando a mureta de proteção, ou como Tony Stewart, não só escalar, mas subir até onde fica o diretor de prova, pegar a bandeira quadriculada e voltar para o carro e celebrar).

    Se a F1 gosta de copiar as coisas da NASCAR, copie a diversão que as corridas dela proporciona e a forma justa de tratar as equipes em caso de punição, acima de tudo.

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s