Acabou? Nem começou ainda (2ª parte)

Money, Money, Money Bom, saiu a integra do veredicto do conselho mundial, anunciando ontem sem maiores detalhes. E vai ficar assim! O Mundial de Formula 1 de 2007 acaba de ser transformado oficialmente em uma farsa completa.

Confesso que já presenciei decisões, digamos, questionáveis da FIA. Ou seja, pelo menos havia uma explicação detalhada enquanto aos motivos de decisões tomadas pela entidade. Acho que hoje a FIA estreou um novo patamar em seu nível de credibilidade.

Extrato do relato de 14 páginas: “O Conselho Mundial não tem nenhuma obrigação de provar que as informações obtidas pela Mclaren-Mercedes foram realmente usadas com a finalidade de dar uma vantagem à equipe. Se o Conselho Mundial tomou esta decisão, é suficiente o conhecimento interno das provas.”

Money, Money, Money

A primeira impressão que se absorve depois de ler esta papelada toda é que, na verdade, a FIA continua SEM PROVAS CONCLUDENTES onde e como a McLaren poderia ter tirado proveito das informações, mesmo se elas estivessem circulando pela empresa. O que igualmente ninguém provou até agora.

Pelo que se entende houve um contato de e-mail entre o Diretor Técnico Mike Coughlan e o Pedro de la Rosa. E este e-mail foi repassado pelo piloto de testes ao conterrâneo Fernando Alonso. O conteúdo? Que a distribuição de peso da F2007 não faz sentido, que a Ferrari infla o pneus com um certo gás e outras informações que se pode obter por outros meios sem muito alarde. Vocês vão todos me desculpar, mas isto tudo só confirma o que já coloquei no post anterior. A FIA ameaçou acabar com a McLaren, e com isto com a Formula 1, e agora está sendo elogiada por não ter linchado quem não conseguiu provar culpado.

Money, Money, Money

Como já disse em julho, após a primeira decisão do Conselho Mundial, isto está longe de terminar assim. A próxima palavra virá de Stuttgart. Dieter Zetsche, o CEO da Mercedes-Benz, com certeza não vai engolir este peixe podre puxar a balança comercial da empresa que comanda rumo ao vermelho. A ameaça de se retirar da F1, talvez do automobilismo na sua totalidade (bye-bye DTM), será a conseqüência irreversível.

E quando a coisa estourar pro lado da Renault, eis o próximo golpe que a FIA prepara após denuncia da McLaren sobre um sistema de refrigeração amplamente copiado, o Carlos Ghosn, CEO da Renault, não vai demorar em terminar a atuação da montadora francesa na F1. Outra opção: A Mercedes, Renault e BMW vão logo, logo voltar a conversar sobre um campeonato paralelo. Planos que jamais deviam ter enterrados em primeiro lugar.

Leia também a matéria relacionada:

Acabou? Nem começou ainda (1ª parte)

Advertisements

12 Gedanken zu “Acabou? Nem começou ainda (2ª parte)

  1. Mercedes, Renault, BMW, Honda e Toyota nunca deveriam ter abandonado a GPWC.
    E, infelizmente, muita agua vai rolar ainda.
    Eu era torcedor da McLaren. Era. Esse escandalo arruinou sua imagem perante mim e outras várias pessoas.
    Infelizmente acho que a FIA nao divulgou o conteudo dor email por ser muito danoso à imagem da categoria. Se eles fossem divulgar tudo ia ser muita merda jogada no ventilador.
    E vou mais longe: se Renault e Mercedes ameaçarem abandonar a F1, a Honda e a Toyota que estão com a paciencia la em cima, podem seguir o mesmo caminho. O circo pegaria fogo.
    Mas, como li por aí, o cenário atual é muito, muito melhor, quando comparado à maio de 94. E a F1 se reergueu.

  2. Olha, „Marca“ já crio tanta confusão este ano, que definitivamente não a considero com fonta confiável!!!

    Estou „digerindo“ aquleas 14 páginas da FIA. Assim que tiver paciência e um remédio contra enjôo na ão irei comentar com um post adequado.

  3. Mario,

    Em seguimento da conversa acima e para responder à sua mensagem do outro post:

    Eu concordo com este extracto: „O Conselho Mundial não tem nenhuma obrigação de provar que as informações obtidas […] foram realmente usadas […]“ Porquê? Simplesmente porque é impossível. Mesmo que passassem 10 anos a analisar o MP4/22 com microscópio electrónico, nunca será provado nada e muito menos se/quando/como esses segredos industriais foram aproveitados enquanto à concepção/evolução do carro actual ou do próximo.

    Além disso, a intenção e a preparação do delito chegam a culpar. O sucesso ou a falha derradeiros do plano já não são decisivos, mas dependem simplesmente da habilidade do executante e/ou de circunstâncias alheias.

    Para tomar um exemplo: se forem encontrados na sua casa toda a informação e todo o material necessários para, digamos, matar o vizinho (tipo: planos de bomba, manuais, receitas de explosivos, produtos químicos, banco de ensaios, detonadores, informações precisas sobre a vítima, etc.) você acha que ainda é preciso apurar se consegue levar o seu plano à execução? Que a justiça vai pedir e esperar para você fabricar, colocar e fazer explodir uma bomba real para saber se consegue mesmo matar o dito cujo?

    Claro que não! Isso até nem interessa. O conjunto de indícios materiais já tem valor de prova e a única chance que você tem para ilibar-se é provar:
    1- que todo esse material chegou lá por “acidente” (+ explicações detalhadas)
    2- ou que pertence a outra pessoa (+ explicações ainda mais detalhadas)

    Neste caso de espionagem, é escusado dizer que a hipótese do acidente não vale (ou alguém acredita que foi engano do carteiro de Maranello?).

    Resta a possibilidade do Coughlan ter operado sozinho, sem ninguém à volta saber de nada. Essa, sim, é uma possibilidade real. E até explicaria como o dossier foi parar numa loja pública.

    Aqui é que pequei por excesso de pressa ao interpretar a multa pesadíssima da FIA como o sinal de que havia provas definitivas da passagem do tal dossier por outras mãos na McLaren.

    Enfim, essa é simplesmente a minha opinião.

    Bom fim-de-semana a todos!

  4. Eu acho que vocês todos ainda vão ter que rever os seus conceitos sobre como funciona o automobilismo nos bastidores.

    Eu venci o campeão de kart na Formula Ford 1600 alemã em 1981, apesar dele usar um motor ilegal nas ultimas três etapas. Porque ele fez isto? Porque por meios normais não conseguia me derrotar e estava correndo risco de perder seu patrocínio. Venceu duas vezes com este motor podre, enquanto eu já estava me limitando a somar pontos para garantir o título.

    Protestei quando fiquei sabendo? Não, não fazia diferença, pois ganhei o campeonato. Antecipando qualquer sugestão ofensiva: O meu motor foi aberto duas vezes pelos comsissários durante a temporada e confirmado como regular.

    Você acha que este tipo de história não vive se repetindo pelo automobilismo mundo afora? Ou na Stock Car brasileira??? O que mais há é sacanagem. A McLaren está sendo feita de Cristo por algo que, se não forem TODAS as equipes da F1, pelo menos a maioria é culpada igualmente. Justiça seria botar TODOS estes na cruz. Duvido muitíssimo que isto acontecerá!

    Repito: Acabou? Nem começou ainda… é só aguardar!

  5. Concordo, aliás discordo: o que mais há não é sacanagem, só há sacanagem. Todas fazem? Claro, faz parte do pacote, como sempre fez, tanto a política de ser mais esperto do que o outro e burlar as „leis“ para se beneficiar como a espionagem per se. Todos sabem disso. Mas sabem tb que é uma prática dita ilegal e se quiserem fazer que façam direito ou então que paguem o preço, as consequências e de quebra o mico que virá com a descoberta, oras. Acho que isso tb todas sabem. Portanto, que arquem com as consequências.

    A McLaren não foi pega pra Cristo, ela foi pega. Simple as that. E acho que nesta história saiu até barato pra equipe. E na minha modesta opinião, o Max Mosely foi um paizão pro Ron Dennis nessa.

    XO
    PS: Eu torço pra McLaren e vou continuar torcendo, mas o campeonato deste ano já foi pras cucuias há muito tempo…

  6. A pergunta que eu fazia insistentemente era: De onde a FIA sabia dos e-mails em questão? Está respondido. Para mim isto é mais uma prova da impcável índole de Ron Dennis, que sempre garantiu colaborar com ainvestigação. E manteve palavra.

  7. Realmente o que Ron Dennis fez em toda a sua história pela F-1 é impagável. O amor que ele tem por esse esporte é magnífico.

    Agora espero que amanhã o Alonso crave a pole e domingo desfile em Spa, assim como fez em Monza.

    Alonso Rumo ao TRI.

  8. Mario, mas a gente pode ter certeza de que a McLaren vai realmente pagar US$100 mi? levando em conta todas as implicações políticas que um golpe duro em cima da equipe poderia gerar, será que esse negócio de 100 mi não é só conversa fiada para que os ânimos (a imprensa) se acalme?

    Eu acredito que a Mercedez já havia ameaçado sair da F1 junto com outras equipes, e uma F1 enfraquecida é tudo que a Ferrari não quer. Por isso eu acho que houve um acordo que não prejudica muito ninguém. Aí ano que vem todo mundo esquece isso, continua roubando informações, mas da próxima vez eles vão voltar a ser mais profissionais no roubo, como sempre foram.

  9. Bom, a notícia que aguardamos: A Vodafone-McLaren-Mercedes vair recorrer ou não?

    Enquanto isto os 68 milhões aos quais a equipe já teria direito até agora sob prêmios e participação nos direitos já estão confiscados…

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s