Bernie Ecclestone tem razão

Ron Dennis vs media Bom, vou fazer a mesma coisa que a McLaren, embora no meu caso não se trate de conselho de algum advogado, é só saco cheio mesmo: Não vou mais comentar esta palhaçada toda até o dia 13!

O Bernie Ecclestone tinha razão. Ainda na época da minha ativa como jornalista permanente da F1, o Bernie descreveu os repórteres na F1 como um bando de mal-informados que só copiam o que algum outro escreveu. Nunca me incomodei com tal avaliação, pois para toda regra existe uma exceção. Além disto, os meus modos de pesquisar matérias tiveram como conseqüência que os meus trabalhos são as tais que acabam sendo copiados.

A soma de besteiras oriundas de uma única matéria de um jornalista inglês, que foi copiada por um alemão e dali por espanhóis, italianos, outros ingleses e dali pra frente espalhada pela internet toda, chegou a uma nível de qualidade revoltante. Sem sequer questionar pela mera lógica, se o relatado procede. Cada um acrescenta uma coisinha ali, outra lá. É pra dar um toque pessoal, sabe? Ah, me poupem! Como deve ser duro vender jornal impresso em papel hoje em dia…

Fernando Alonso, McLaren garage 2007

A mais nova onda agora é que o Alonso teria revelado tudo para a FIA, seria o traidor entregando a equipe ao enforcamento em praça pública. Caramba, que idiotice afirmar algo assim! O homem está brigando nas pistas para defender o seu título no mundial. Principalmente contra o seu companheiro de equipe. Em um esporte, onde milésimos de segundos decidem, onde um pneu com a pressão de ar errada, ou uma demora extra na parada dos boxes pode custar pontos valiosos no mundial, seria prudente ferrar a própria equipe numa hora destas? Sabendo que poderá haver troco a qualquer momento? Ninguém pode ser tão ingênuo de achar que um piloto faz algo assim e vai continuar ganhando o apoio da equipe nessa briga pelo título. Seria a facada nas próprias costas.

Sabe, às vezes você enxerga as coisas melhor à distância. Se você está parado em frente a um arranha-céu dificilmente vai poder ver o que tem no topo do prédio. Se você se afastar um pouco acaba vendo o prédio na sua totalidade. Quando vejo o que até os mais experientes jornalistas, presentes em Monza, espalharam nos ultimos dias por aí, sem refletir, sem questionar as conseqüências SE tais atos fossem tão graves como relatados, acredito que seja justamente isto. De tanta árvore pela frente não estão vendo a floresta.

Pense bem: Para a presença de um enviado especial um jornal, rádio ou a Globo tem que desembolsar algo na faixa de 3 a 4 mil dólares americanos por GP. Só em despesas, fora o salário. E isto se não for na Ásia, aí os custos sobem mais ainda. Maaaas, se história oferecida pelo repórter contém drama, espionagem, sabotagem, sexo (tipo suposto namoro de um dos personagens com a filha do chefe), malandragem, traição, poxa, a história fica muito mais bacana pra justificar essa despesa toda, não é? Agora só falta alguém inventar um casamento gay entre dois pilotos, ahn, deixa ver, que tal um contrabando de resíduos nucleares em um dos caminhões da McLaren?

Fernando Alonso vs media

Resumindo: Li tanta besteira, mas tanta besteira que me recuso passar o meu fim de semana analisando cada uma destas peças e desmantelando-as com mera lógica até sobrar sequer a casquinha.

Eu mantenho:

– Tudo isto começou com a bagunça que é a administração da Gestione Sportiva da Ferrari, já com antecedentes de informações altamente confidenciais sendo desviadas;

– O assunto foi alimentado pela tentativa (frustrada por ser denunciada) da Ferrari de competir com um assoalho que (e disto estavam cientes) não correspondia ao regulamento;

– Até algum juiz declarar o contrário, Nigel Stepney é inocente;

– Mike Coughlan pode ter admitido um comportamento antiético. Fora disto, vale o mesmo que para Stepney: In dubio pro reo.

– Fernando Alonso não tem interesse de voltar a integrar uma equipe de segundo calão, portanto todo tipo de argumentação que leve a esta conclusão tem que ser falha.

– Se não houver evidências no sentido de áudio ou vídeo entregando alguém da diretoria da McLaren comentando de forma afirmativa conhecimento de detalhes do dossiê e que estas informações foram usadas de forma operacional pela McLaren, a FIA sequer tem um caso legítimo de acusação fundada;

– Portanto, a FIA não tem base e muito menos o cacife de tomar medidas tão drásticas como banir a McLaren (e com isto a Mercedes-Benz) do mundial;

Do resto a gente se fala no dia 13, valeu? Até lá só quero falar do que me realmente interessa: A briga na pista!

Advertisements

13 Gedanken zu “Bernie Ecclestone tem razão

  1. Perfeito! A não ser que Alonso já saiba que a F1 já tem um novo campeão e que o mesmo – por ser novo – não é ele, talvez não tenha sido ele o „escolhido“ (pela Mclaren)… E em tempo, partindo-se do pressuposto de que a F1 ‚pode‘ não ser mais – como preconizara o referido espanhol no próprio GP de Monza de 2006 ao ver a FIA querendo „dar como prêmio de consolação ao maior“ o campeonato ao glorioso Michael naquela punição injusta e ilegítima – um ESPORTE, donde se segue que pode também – assim como o futebol Italiano, Brasileiro, Espanhol… – manipulador de resultados… porque não? de uma certa forma sempre tem uma orda… uma poder… uma ordem econômico-política que prepondera, que se sobrepõe às demais… – „coitados do Santander e do grupo Pinar“… o cara da biografia tá com a chapa mais quente… rsrsrsrsr, quem sabe não é o cheira-mar o patrocinador de Hamilton? o automobilismo é inglês, a F1 é toda inglesa, a maior monta, porção-parcela mais significativa e relevante de seus fãs da F1 estão por lá tb na Grã-Bretanha, os maiores consumidores de seus produtos provalmente estão na parte anglicana da europa, então que venha o futuro-mãe-dinah-presente-negro(de fuder para o marketing de uma categoria elistista e não tão mais notória)-campeão!

  2. Nós mortais ainda discutimos quem é o melhor, se esse piloto é melhor que aquele… Entretanto os dirigentes da F1 já sabem há muito tempo que isso é o que menos importa, basta apenas NÃO colocar um Rubens ou um Nakamotto da vida ao volante e dar o melhor carro a um piloto mediano – conhecedor de todos os circuitos nem que seja por simulador (vídeo-game, =D rsrsrsrsr) -que tá tudo resolvido, se isso não funcionar (funfar) então uma puxada de tapete não fará mal a ninguém, uma tapetada, uma cartolada idem – um pneu com pressão errada, um pit-stop mais demorado – um engenheiro menos empenhado „que dirá dos Stepneys“, e mais uma vez tá tudo resolvido… World Champion!… Há muito tempo que a politicagem da F1 não tem um campeão na acepção da palavra, legítimo… Fabricam-se falsos ídolos da noite para o dia, ídolos de barro… Agora para 2008 sem controle de tração esse cenário vai ficar menos medíocre… 😦

  3. Mario,

    Obrigado por esta reacção sensata. É o primeiro post ponderado e „digno“ que encontrou na blogosféra, no meio da histeria ambiente.

    E já agora, parabéns também pela qualidade geral do seu blog. Há poucas semanas que o descobri e aprecio cada vez mais o seu trabalho.

    Abraço!

  4. Mario, aproveitando a deixa de não comentar o escândalo até o dia do Conselho, você podia aproveitar e contar aquela história de ter pilotado o McLaren F1 depois desse fim-de-semana de GP hein… sempre quis perguntar como foi aquilo, mas sempre esquecia de fazê-lo efetivamente!

    Abraço!

  5. Avé, Mario! Finalmente uma opinião sensata. É por isso que eu tento evitar falar sobre intrigas na pista o máximo possível. Sou mais fã de que a poeira se assente do que falar na asneira do momento, só no objectivo de vender jornal. E eu também alinho no „até dia 13… só corrida!“

  6. Sou brasileira e torço para o Alonso. Friso isso porque não me levo por patriotismo: o cara é bom e não é bi-campeão mundial a toa.
    Dizem que tenho tudo pra ser imparcial. E encontrar um comentário como o seu, que além de conhecimento de causa ainda é imparcial se comparado a mim, é tranquilizante.

    Concordo com todas as suas linhas. O Fernando é um cara inteligente. Não é nem por questões financeiras, mas por suas ambições quanto a briga nas pistas. É imoral o que a imprensa anda fazendo com ele (ainda que o De La Rosa figure nessas especulações, não me parece atingido..). Fora a inteligência, ele é profissional. Assim como você não creio que ele jogaria contra seu próprio patrimônio.

    E você, que é do ramo, só comprova o que nós espectadores e torcedores já percebíamos: a salada mista, crtl c + ctrl v das reportagens. É pior que monografia paga!

    A verdade é uma só e ela vai aparecer.
    Abraços!

  7. Ei Mauro tem um pessoal da impresa que diz que seu desabafo é fruto de uma desilusão com a Mclaren e que você é um anti-ferrari convicto(oq eu admito que sou)

    Que vc quer colocar panos quentes na crise e quer diminuir o absurdo que está comprovado.

    Sinceramente isso é coisa de Ferrarista que quer ver a McLaren ser excluida de 2007 e 2008 e nisso pôe as esperanças para vencer um campeonato que não conquista desde 2004.

    Falando nisso, Mad Max Mosley merecia uma coluna sua!!

    Eu odeio esse velho filho de fascista!!!

    Abraços!!!

  8. Se estão falando tudo isto de um Mauro, tudo bem. Afinal meu nome é Mario =D

    E da minha conversa nada amigável com o Sr. Mosley, quando a FIA fez a mesma coisa com a Elf no GP do Brasil em 1996, ainda farei o meu relato.

  9. Refuto completamente essa idéia da pseudo-inteligência do espanhol tê-lo feito claudicar, recuar no que diz respeito à delação da Mclaren… a disputa do certame não o impediu tampouco o impedirá de abrir os „causos“ nefastos de Mr. Ron Dennis e Cia simplesmente porque: 1- Se o campeonato é manipulado, êste o seria para Hamilton…
    2- Ainda q resultado do campeonato não seja manipulado, ainda que a Mclaren fosse punida, tal punição jamais – eu digo e repito dada a morosidade, contemporização, malemolencia, que a FIA demonstra com esses causos macabros, nefastos, pilantragens, 171’s, contendas, querelas e afins… – JAMAIS iria acometer os pilotos, jamais seria extensível a eles… isso seria ruim demais, negativo demais, fraudulento demais, ilégitimo demais para uma temporada de F1, deletério demais para a combalida F1, negativo demais para a sua imagem, donde se segue q não poderia se sentir coagido pela possível perda de pontos.
    3- De outra maneira, essa tb NADA coercivo-coercitiva, o referido espanhol não se sentiria intimidado porque a equipe poderia ou NÃO descobrir a denúncia ou simplesmente com a referida delação poderia ficar sob suspeição, como agora, mas poderia negar até a morte, como agora, algum gênio da artimanha, da malandragem, da conspiração (Briatore) pode tê-lo orientado dessa maneira: -„Alonso, fale o q vc sabe senão a FIA – quando se trata de Ferrari q ta lá desde a 1ª Temp. de F1 ela bota pra Fud… ela vai te Fud…, vai lá e fala o q C sabe malandro, agora pra platinada nega tudo até a morte…“ , e assim ficaria o espanhol sob a prerrogativa de delação premiada!, premiada pela FIA, ou fala ou se F…. e Alonso estaria pós-graduado na escola Briatoriana de malandragens, sendo o mais notório e importante sectário do italiano – q cansou de ser babá do espanhol nos tempos de Renault – e de quebra, com aquele quexão duro do espanhol, ele poderia passar incólume da alcuma de dedo-duro, ashusahusauhsauhaushuhsauhasuhsasa….e ainda ser campeão do mundo…

  10. E gente, vamos deixar a simpatia, a admiração influir, q diz respeito aos comentários qt aos posts, tá certo, esse Mário Bauer é um cara do caraio, o melhor q eu já vi até agora em se tratando de F1, porém não podemos deixar de discordar, de ‚controversar‘ qd necessário… -“ Mais vale uma crítica q me evolui do q um elogio q me corrompa.“…

  11. Concordo plenamente com a Luna, também sou brasileiro e torço mesmo pro Alonso, sem problema algum. Até porque considero ele o melhor piloto do mundo no momento e foi o ÚNICO a parar a Ferrari e ao Schumacher no auge. Também acho um absurdo o tanto que estão falando em sua volta pra Renault, se não me engano a Renault através do mesmo mecânico cometeu dois erros seguidos em Pit Stops do Alonso ano passado. Um foi na corrida da Hungria que a roda soltou na primeira ou segunda curva. Tudo para que o Alonso não levasse o nº 1 para a McLaren. Não acredito que ele já esqueceu disso. Sobre esse dossiê que a McLaren obteve, acho pouco provavel que foi utilizado alguma informação significativa, e se foi usado é uma coisa estranha, já que a cópia saiu melhor que original. A Ferrari perdeu o campeonato pra ela mesma, nos erros absurdos que cometeu e nisso a McLaren não tem culpa, apenas um melhor aproveitamento do seu carro durante as corridas e uma dupla de pilotos muito melhor que a dupla ferrarista.
    Bom, tenho o privilégio de postar depois de mais vitória do Tricampeão Alonso, que com o set up separado do Hamilton deixou o novato a 8 segundos.
    Alonso, rumo ao TRI

  12. Mensagem do seu teclado para Dimitri Matos:

    Para o Natal, quero uma tecla „Return“ (sabe, com a tal seta de ângulo direito).

    Obrigado 😉

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s