Saudades de Mark Donohue

mark-donohue.png  Durante o “warm-up“ para o GP da Áustria na manhã do domingo de 17 de agosto de 1975 Mark Donohue sofre um acidente em conseqüência a um pneu dianteiro estourado. O seu Penske-March 751 deixa a pista na então velocíssima primeira curva do traçado do antigo Österreichring a mais de 200km/h, atravessa as redes de proteção e por final bate na fundação de uma viga que sustentava uma placa de propaganda.

Donohue ainda sai de força própria e aparentemente ileso do cockpit, o monocoque do March fora tão danificado que impediria alinhar no grid de largada. Pior: um comissário de pista foi morto, outro gravemente ferido no acidente. Mais tarde Mark começou a se queixar de uma dor de cabeça cada vez mais forte e foi levado de helicóptero para o Hospital de Graz onde entrou em estado de coma.

Não se sabe se a lesão foi causada pela violência do impacto naquele bloco de cimento, ou se um poste das redes de proteção o atingiu. Indiscutível, pórem, que o atendimento médico insuficiente logo após o acidente e a demora de constatar um hematoma cerebral tornou o quadro do paciente praticamente irreversível. Uma operação de urgência tardia não consegue impedir a morte desnecessária do simpático piloto norte-americano na madrugada do dia 19 de agosto aos 38 anos.

Penske-Porsche 917/10, Atlanta 1972

Donohue já tinha escapado da morte uma vez. Semanas depois de comemorar a sua vitória nas 500 Milhas de Indianápolis estava testando a L&M Porsche 917/10, com a qual competia na Can-Am, em Atlanta no dia 3 de julho de 1972. A carenagem traseira se soltou e o carro saiu rodando, acertou um barranco despedaçando a frente do protótipo que acabou capotando sete vezes. Donohue sofreu graves lesões em suas pernas, mas teve sorte de sobreviver o tipo de acidente que, de forma bem semelhante, tinha tirado a vida de seu ex-companheiro em Le Mans, o saudoso Bruce McLaren, dois anos antes em Goodwood.

Donohue era um verdadeiro allrounder, piloto que obteve sucesso em todas as categorias que disputou:

– tricampeão na Trans-Am (Chevy Camaro ’68/’69, AMC Javelin ’71)
– bicampeão na USRRC (Lola T70 Mk3 ’67, McLaren M6A ’68)
– campeão na Can-Am (Porsche 917/30 ’73)
– campeão da IROC (Porsche 911 Carrera, ’74)
– vencedor das 24 horas de Daytona (Chevrolet Camaro ’69)
– vencedor das 500 Milhas de Indianápolis (McLaren M16-Offenhauser ’72)
– vencedor das 500 Milhas de Riverside da NASCAR (AMC Matador ’73)

A foto mostra Donohue no dia de mais uma conquista inédita. Foi no dia 9 de Agosto, dez dias antes do seu falecimento, ao volante do Porsche 917/30 nos boxes do Talladega Superspeedway. Contrário ao costumeiro visual azul-amarelo da Sunoco, fiel patrocinador da Penske, com o qual Donohue foi campeão na Can-Am em 1973, a Porsche aparece em vermelho e com logotipos do patrocinador CAM2.

penske-porsche-917-30.png

A meta: O 917/30, chassi número 003 com motor 5.4 boxer 12 biturbo normalmente desenvolvendo 1100 HP, é colocado na pista para conquistar o recorde mundial de velocidade em circuito fechado. Com pressão do turbo aumentada, assim rendendo cerca de 1500 HP, Donohue atinge uma velocidade média de 355,78 km/h, a velocidade máxima nas retas chega a 382 km/h.

Na sua lista de conquistas só faltam vitórias nas 24 horas de Le Mans (melhor resultado: 4º em ’67 com Bruce McLaren, Ford GT 40) e na Fórmula 1 (melhor resultado: 3º  lugar na estréia em Mosport Park ’71, McLaren M19). Em 1990 Mark Donohue foi eleito por um painel de jornalistas para o International Motorsports Hall of Fame.

Para mais informações sobre Mark Donohue clique aqui

Achou a matéria interessante? Gostou do blog? Grand Prix Insider foi indicado para o Prêmio “Blogger’s Choice Awards” na categoria “Foreign Languages”. Posso contar com o seu voto também? Pra fazer uma “forçinha” clique aqui. Obrigado!

Advertisements

3 Gedanken zu “Saudades de Mark Donohue

  1. Gostei da tua matéria sobre o Mark Donohue. Tá tão boa quanto a minha, e gostei da foto do „Can-Am Killer“ na sua tentativa de record mundial em Talladega…

    Ah… semana que vêm, vou pôr muita coisa do Didier Pironi, já que faz 20 anos que despareceu. Vais gostar! E já agora… quando é que votas no meu blog? Eu já votei no teu…

  2. Só posso retornar o elogio. Sempre um prazer ler as suas matérias tão detalhadas. Mal posso esperar a do Pironi.

    Assim, que me finalmente cadastrar no Blogger’s Choice Awards pode contar com meu voto =D

Kommentar verfassen

Trage deine Daten unten ein oder klicke ein Icon um dich einzuloggen:

WordPress.com-Logo

Du kommentierst mit Deinem WordPress.com-Konto. Abmelden / Ändern )

Twitter-Bild

Du kommentierst mit Deinem Twitter-Konto. Abmelden / Ändern )

Facebook-Foto

Du kommentierst mit Deinem Facebook-Konto. Abmelden / Ändern )

Google+ Foto

Du kommentierst mit Deinem Google+-Konto. Abmelden / Ändern )

Verbinde mit %s